Vocação sacerdotal: dom e discernimento

“Mostra-me, Senhor, os teus caminhos” (Sl 25,4).

Prezados irmãos e irmãs da Igreja de Deus que se faz presente na Diocese de Jundiaí:

Neste início do ano novo, vários jovens decidiram entrar no Seminário ou continuar nesta Casa de Formação, com o objetivo de se tornarem sacerdotes para o serviço de Deus e de sua Igreja.

Nosso Seminário Diocesano, intitulado “Nossa Senhora do Desterro”, é constituído por três Núcleos, a saber: “Núcleo Propedêutico Sagrada Família”, “Núcleo Filosófico Dom Joaquim Justino Carreira” e “Núcleo Teológico Dom Gabriel Paulino Bueno Couto”. Ao todo são 51 seminaristas, divididos da seguinte maneira: 15 seminaristas no Núcleo Propedêutico (2 da Diocese de Registro – SP), 18 no Núcleo Filosófico e 18 no Núcleo Teológico.

Queridos irmãos diocesanos, toda vocação é dom. É expressão de um amor todo especial e predileto de Deus: “Não fostes vós que me escolhestes; fui eu que vos escolhi e vos designei, para irdes e produzirdes fruto, e para que o vosso fruto permaneça” (Jo 15,16). Portanto, a vocação ao ministério ordenado (presbiteral ou diaconal), à vida consagrada, ao matrimônio e a ser cristão leigo e leiga na sociedade e na Igreja como “sal da terra e luz do mundo” (cf. Mt 5,13-14), é expressão da ternura e da misericórdia de Deus para com o próprio vocacionado e à Igreja da qual faz parte.

Doutro lado, porém, reconhecer a própria vocação e abraçá-la como compromisso de vida exigem muita coragem e discernimento. Lembremo-nos da última Assembleia Ordinária do Sínodo dos Bispos (Roma, 03 a 28/10/2018) cujo tema foi: “Os jovens, a fé e o discernimento”. Pois, em todo processo vocacional é necessário manter e fomentar um clima íntimo e constante com Deus, a fim de discernir bem qual o verdadeiro chamado e a consequente missão que realmente Deus plantou no coração do vocacionado. O Documento Final do Sínodo dos Bispos salienta que nesta prática do discernimento são necessárias algumas disposições: “a primeira é a atenção do coração, favorecida por um silêncio e um despojamento alcançado pela ascese.” É preciso “disponibilidade de colocar ordem na própria vida, abandonando tudo aquilo que venha a servir de obstáculo, como também de recuperar a liberdade interior necessária para tomar decisões guiadas unicamente pelo Espírito Santo” (n. 111).

Nesta obra do discernimento vocacional, particularmente aqueles chamados à vocação sacerdotal, é fundamental também o apoio de todas as forças vivas da comunidade de fé: do Bispo Diocesano e dos presbíteros, dos animadores vocacionais e juvenis, familiares e amigos, lideranças e coordenações da comunidade e leigos aptos a realizar o trabalho que esta obra exige.

Para dinamizar e aprofundar este acompanhamento e discernimento vocacional, a Igreja do Brasil realizará o 4º Congresso Vocacional do Brasil (Aparecida – SP, 05 a 08/09 deste ano), com o tema: “Vocação e discernimento”, e o lema: “Mostra-me, Senhor, os teus caminhos” (Sl 25,4). Deste modo espera-se que todas as instâncias da Igreja se sintam mais motivadas e preparadas a, em espírito de comunhão e participação, se deixar realmente atingir por esta questão crucial na vida da Igreja: o surgimento de novas vocações.

Queridos irmãos diocesanos, graças a Deus, nossa querida e amada Diocese de Jundiaí tem dado alguns passos importantes na promoção e na construção de processos de acompanhamento vocacional. Destaco alguns:

1. O zelo e a dedicação dos nossos Formadores, presbíteros e leigos, na formação integral dos nossos seminaristas, como também dos adolescentes e jovens que participam dos encontros vocacionais antes do ingresso no Seminário. A partir deste ano poderemos contar com a contribuição valiosa do Padre Milton Rogério Vicente, Diretor Espiritual residente no Seminário.

2. O Projeto Vocacional, lançado recentemente na Diocese: “Cada Comunidade, Nova Vocação”, tendo como objetivo a oração pelas vocações e a divulgação nos meios de comunicação social de testemunhos vocacionais de quem vive com alegria a sua vocação. O Projeto sugere que rezemos no início de todos os encontros e reuniões da Igreja, bem como antes de todas as celebrações o Santo Terço, ou, pelo menos, uma dezena. Além disto, cada Paróquia da Diocese comprometeu-se a rezar no mesmo dia de cada mês pelas vocações. Fruto deste Projeto surgiram várias Equipes de PV-SAV (Pastoral Vocacional e Serviço de Animação Vocacional) em nossas comunidades, como ocoreu na Paróquia São João Bosco, em Jundiaí.

3. A criação do Instituto Diocesano de Filosofia Padre Eugênio Inverardi, inaugurado no dia 27/02 deste ano, com a finalidade de formar os nossos seminaristas de Filosofia em nosso Seminário Diocesano, fornecendo-lhes um estudo filosófico mais focado à posterior formação teológica.

4. A ajuda constante e generosa de tantos irmãos comprometidos na manutenção financeira do nosso Seminário, aderindo ao Projeto: “Sou colaborador(a) do Seminário Diocesano de Jundiaí. Eu abraço essa vocação” e assumido pelos nossos seminaristas. Deste modo, os seminaristas aprendem, desde cedo, o valor da partilha e a atitude concreta na administração dos bens temporais em vista do Reino.

Supliquemos ao Bom Deus que abençoe a nossa Igreja Diocesana com novas e santas vocações, fruto de um processo sério e profundo de discernimento. Ainda hoje, devemos sentir a mesma compaixão de Jesus que, ao ver as multidões, “cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor”, disse aos seus discípulos: “A colheita é grande, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para sua colheita” (Mt 9,37-38).

Que o Bom Pastor enriqueça a nossa Igreja com sacerdotes que sejam santos, sábios, pastores, missionários e misericordiosos. E “que a Virgem Maria, Senhora Aparecida, acompanhe a todos que ouvem a tua voz e com ela possam proclamar: ‘Eis-me aqui, faça-se em mim, conforme a tua Palavra’. Amém!” (Oração Oficial do 4º Congresso Vocacional do Brasil).

E a todos abençoo, particularmente nossos seminaristas e vocacionados, nossos Formadores e todos aqueles que rezam e contribuem para a Obra Vocacional em nossa Diocese.

Dom Vicente Costa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *