18 de junho de 2024

Jundiaí /SP

Pesquisar

Uma visita ao Sítio Agar

 Associação dedica-se aos serviços de humanização e acolhimento.

A Associação Sitio Agar foi a segunda entidade a receber a visita do diretor presidente da Cáritas Diocesana de Jundiaí, Pe. Joaquim de Souza Filho e da coordenadora de Projetos Sociais da Cáritas, Maria Rosangela Moretti.

Essas visitas fazem parte de uma ação de estreitamento de laços e partilha das ações e práticas entre a Cáritas e membros associados, as Organizações da Sociedade Civil, buscando fortalecer a rede de proteção a tantos necessitados.

No último dia 7 de março, Padre Joaquim e Maria Rosangela vivenciaram parte da rotina das crianças, jovens, adultos e dos idosos assistidos pela Associação Sítio Agar. A entidade conta com três unidades, duas delas dentro de território da Diocese de Jundiaí, nas cidades de Cajamar e Várzea Paulista.

Em Cajamar, eles foram acolhidos pelo Frei Antonius Gerardus Maria van Noje, fundador do Sítio Agar, e pela presidente da entidade, Isabel Morsoletto Ferreira, que acompanharam a visita pelas dependências das casas, apresentando os serviços dos Abrigos – Unidade de ILPI – Instituição de Longa Permanência para Idosos/ abrigamento de pessoas idosas, da Unidade de Residência Inclusiva (RI) e do Serviço de Acolhimento Institucional de Crianças e Adolescentes (SAIC).

Em Várzea Paulista, na segunda etapa da visita, a coordenadora Jéssica foi a anfitriã. Pe. Joaquim e Maria Rosângela conheceram a Unidade de Serviço de Acolhimento Institucional de Crianças e Adolescentes (SAIC),

Nestes locais, foi possível conversar com as pessoas, conhecer um pouco de suas histórias. Eles também percorreram as dependências da propriedade, conheceram as casas, os espaços comuns, as áreas de atendimento e outras, reservadas aos moradores assistidos, por exemplo.

O Sítio Agar é uma entidade que foi idealizada pelo religioso monfortino Antonius Gerardus Maria van Noje, que chegou ao Brasil em 1988. A Casa de Apoio tinha a intenção de ser um lar e de proporcionar qualidade de vida às crianças portadoras do vírus HIV, vindos de diversos municípios de São Paulo.

Com o passar do tempo e o maior controle da doença e ainda, devido à necessidade do município de Cajamar de constituir um abrigo para crianças e adolescentes retirados dos familiares como medida protetiva, a inexistência de outra instituição e à experiência da instituição, foi que o Sítio Agar, juridicamente Cia de Maria, tornou-se, em 2002, uma Associação da Sociedade Civil.

Até 2016 a Associação Sitio Agar acolheu, nessa especificidade, crianças e adolescentes que precisavam de ajuda e amparo para lidar não somente com a doença mas também com o medo, a rejeição e o preconceito dos quais eram vítimas nos diversos contextos sociais.

Em 2017 o Sítio Agar deixou de ser uma Casa de Apoio, confirmando sua especificidade no atual serviço, que é o acolhimento de crianças e adolescentes, o Serviço de Acolhimento Institucional de Crianças e Adolescentes (SAICA) independente da condição de saúde do acolhido.

A Associação Sítio Agar presta esse Serviço de Proteção Social de Alta Complexidade no atendimento à crianças e adolescentes em Cajamar, Francisco Morato e Várzea Paulista.

A (RI) Residência inclusiva é o mais recente projeto da instituição, com atendimento (moradia) de jovens e adultos com variadas deficiências.

Você pode colaborar com o trabalho da Associação Sítio Agar e demais Organizações da Sociedade Civil com doações de alimentos, e com as contribuições por meio da doação de seus cupons fiscais.

.

Rolar para cima
Rolar para cima