Religiosas comemoram Jubileu de Vida Consagrada

Para as irmãs Maria Lucila Barbosa de Souza, da Congregação das Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria, e Jacinta do Imaculado Coração de Maria, da Congregação Imaculado Coração de Maria – Carmelita Descalça, o ano de 2018 marca as comemorações de seus Jubileus de Ouro Vocacionais. Momento em que as palavras que mantém viva a memória da ação de Deus e seu chamado à vocação religiosa consagrada são reafirmadas. Para comemorar o aniversário de consagração, no dia 2 de fevereiro, foi realizada a Missa Jubilar, na Celebração do 22º Dia Mundial da Vida Consagrada, como forma de manifestar gratidão a Deus. Momento importante também para as Congregações a qual as religiosas pertencem.

As Irmãs Maria Sônia Viana, Maria Helena Makyama e Maria Sirlei, representaram a Congregação das Irmãs Missionárias do Santo Nome de Maria, e vieram de Maringá (PR) especialmente para esse momento celebrativo.

Foi um encontro de muitas alegrias, festividade e reencontro de pessoas que fazem parte da vida de cada religiosa.

Ao final da missa, Dom Vicente agradeceu a Deus pela Vida Consagrada da irmã Jacinta e, especialmente da irmã Maria Lucila, que o serve pessoalmente na residência episcopal, e por Dom Walter Carrijo, SDS,  Bispo-emérito da Diocese de Brejo (MA), que no mesmo dia, completou 64 anos de Vida Consagrada.  “todos abnegaram tudo para seguir a Jesus”, disse o Pastor da Diocese.

 

 

Irmã Jacinta nasceu Maria Celeste Nunes de Viveiros, em 21 de novembro de 1943, nasceu na Ilha da Madeira (Portugal).

Aos 16 anos mudou-se com sua família para o Brasil, residindo durante algum tempo em São Paulo, vindo posteriormente para Jundiaí, onde residiu no centro da cidade e frequentava a Igreja matriz, hoje Catedral Nossa Senhora do Desterro.

Ao visitar o Carmelo de São José com as Filhas de Maria, sentiu que era o lugar para o qual Deus a chamava. “O chamado do bom Deus em minha vida foi muito forte”, recorda. Com a orientação de Monsenhor Artur Ricci ingressou no Carmelo no dia 2 de fevereiro de 1963. Após o Postulantado, recebeu o Hábito e iniciou o Noviciado no dia 6 de outubro de 1963. Fez sua Profissão Temporária no dia 2 de fevereiro de 1965 e sua Profissão Solene no dia 2 de fevereiro de 1968.

Irmã Lucila nasceu Eleonora Barbosa de Souza, e sentiu o chamado vocacional ainda menina, em Presidente Venceslau, sua terra natal. Mudou-se para Maringá (PR) e aos 16 anos ingressou no convento. A religiosa também recorda a presença forte em sua vida das Irmãs Maria Inês Mochi e Joanita, que presenciou a sua 1ª Eucaristia.Em fevereiro de 1965 entrou para o postulantado. Três anos depois, em 1968 fez a sua 1ª Profissão Religiosa. A Profissão Perpétua fez em 21 de janeiro de 1975.

As religiosas Missionárias do Santo Nome de Maria, por vocação, participam ativamente da Igreja e buscam viver o “sim” dado a Deus no seguimento de Jesus a exemplo de Maria, pela consagração total da vida à Trindade Santa pela prática dos votos de pobreza, castidade e obediência, vida comunitária e vida de oração.  Auxiliam os sacerdotes na Pastoral Paroquial; dedicam-se às crianças, aos doentes, aos em perigo ou extraviados; têm espírito aberto e coração disponível para testemunhar e anunciar o Evangelho na diáspora e nas missões.

Na Diocese de Jundiaí, irmã Lucila atende ao Bispo Diocesano, Dom Vicente Costa, na residência episcopal.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *