29 de outubro de 2020

Jundiaí /SP

PROTOCOLO SANITÁRIO Nº 02 Missas presenciais – Reabertura gradual das Paróquias da Diocese de Jundiaí – SP

Jundiaí − SP, 08 de junho de 2020.

Prot.: 154
Liv.:  20
Pág.: 42

PROTOCOLO SANITÁRIO Nº 02
Missas presenciais – Reabertura gradual das Paróquias da Diocese de Jundiaí – SP

 

Este protocolo tem por objetivo orientar os Párocos nas medidas necessárias para o retorno gradual e responsável das celebrações eucarísticas públicas e dos outros sacramentos na Diocese de Jundiaí SP. Essas medidas seguem as normas sanitárias para a prevenção da COVID-19. Todas as orientações são válidas para esta fase da retomada. Outras medidas serão analisadas posteriormente.

             A− Sobre o acesso às igrejas

  1. Cada Pároco determinará a maneira como os leigos poderão escolher os horários de Missas, como por exemplo, através de distribuição de senhas;
  2. Não pode participar da celebração nenhuma pessoa que apresente qualquer sintoma de gripe ou resfriado;
  3. Não pode participar da celebração quem tenha tido contato com paciente da COVID-19 nos últimos 15 dias;
  4. Para as pessoas com mais de 60 (sessenta) anos recomenda-se não participar das Missas presenciais;
  5. O Pároco e uma equipe de apoio constituída, equipados com máscara e luvas descartáveis, cuidem para que não se tenha aglomeração de pessoas nos espaços das igrejas, inclusive nos estacionamentos, e garantam que sejam observadas rigorosamente as regras sanitárias;
  6. Todos os participantes das Missas deverão usar, obrigatoriamente, máscaras de proteção que cubram a boca e o nariz, inclusive os Padres e a Equipe de Celebração. Caso alguém se apresente sem máscara e a Paróquia não possa fornecer, a pessoa não poderá ficar na celebração;
  7. As igrejas deverão estar com todas as portas e janelas abertas para a ventilação natural do local. Não é aconselhável o uso de ventilador e ar-condicionado;
  8. Que haja um local para entrada e outro para saída dos fiéis da igreja. A entrada e saída sejam realizadas de maneira organizada para que não se crie aglomeração de pessoas antes ou após a Missa;
  9. As igrejas deverão estar preparadas para fornecer aos fiéis álcool em gel 70% nas entradas e saídas;
  10. Cada celebração poderá contar com a presença máxima de 20% (vinte por cento) da capacidade dos lugares da nave da igreja, determinada no projeto de Bombeiros. Não se contabiliza o número permitido para pessoas em pé;
  11. Os fiéis deverão sentar nos lugares determinados e indicados;
  12. Nos espaços da igreja deverá ser respeitada a distância de segurança mínima de 2 (dois) metros frontal e lateral entre cada fiel;
  13. Que haja a transmissão online de, ao menos, uma das Missas para aqueles fiéis que não podem ir à igreja;
  14. As Paróquias que tenham condições de celebrarem a Missa em lugar aberto ou lugares que facilitem o distanciamento e a observação das normas sanitárias poderão fazê-lo. Mesmo ao ar livre há de se manter o distanciamento mínimo de 2 (dois) metros entre uma pessoa e outra;

    B – Sobre o preceito dominical

  15. A dispensa do preceito de guardar Domingos e dias festivos continua vigente. Os fiéis que não se sentirem seguros em participar das celebrações presenciais, nesse momento, podem continuar cumprindo o preceito acompanhando a Missa dominical em casa.

    C – Sobre a Celebração da Missa

  16. Reduzir ao mínimo necessário a equipe de liturgia da celebração, evitando a participação de acólitos e coroinhas, tendo o mínimo de Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística para a distribuição da Eucaristia aos fiéis. Um leitor deverá fazer todas as leituras bíblicas e propor as Orações dos Fiéis durante a celebração;
  17. Que seja evitado o uso do turíbulo com incenso e toda solenidade, neste primeiro momento, restringindo desta maneira o número de pessoas a serviço da celebração litúrgica;
  18. As celebrações das Missas não devem durar mais que 45 (quarenta e cinco) minutos;
  19. Diante da necessidade de multiplicar o número de Missas, que não haja concelebrações eucarísticas;
  20. Que o Padre não compartilhe o seu microfone com outra pessoa. Recomenda-se que o Padre não entregue o microfone para nenhum ministro segurá-lo, nem mesmo na Consagração e Doxologia. Antes e depois do uso dos microfones realiza-se a higienização dos mesmos;
  21. Que algumas partes fixas da Missa (como o Ato Penitencial, Santo e Cordeiro) e as aclamações das Orações Eucarísticas sejam rezadas e não cantadas;
  22. A homilia seja breve e objetiva;
  23. Procurar consagrar o suficiente para cada Missa, evitando conservar reservas eucarísticas;
  24. Permanece omitida a saudação no Rito da Paz;
  25. Permanece suspensa a Comunhão Eucarística sob as duas espécies;
  26. Antes da distribuição da Sagrada Comunhão o Padre e/ou Diácono/Ministro deverão higienizar as mãos com álcool em gel. A Comunhão Eucarística deve ser realizada somente na mão e, preferencialmente nos lugares (nos bancos) onde estão os fiéis, evitando movimentação e as filas. Quando isso não for possível, solicitamos que a fila seja organizada de modo com que os participantes mantenham a distância de 2 (dois) metros um do outro, com demarcações no piso e, que os participantes saiam de seus bancos de forma organizada, banco por banco;
  27. Quem for distribuir a Sagrada Comunhão deverá manter a devida distância dos fiéis comungantes. Terminada a distribuição, os que distribuíram a Comunhão façam a purificação e a higienização das mãos com álcool em gel;
  28. Está proibida a distribuição de folhetos, jornais e envelopes;
  29. Sejam realizadas as coletas somente ao final das Missas, nas saídas das igrejas;
  30. Os que forem contabilizar as coletas usem luvas descartáveis e realizem rigorosamente a higienização das mãos.

    D – Sobre a higienização dos ambientes e objetos

  31. Todos os espaços das igrejas devem ser higienizados rigorosamente após cada celebração da Missa. Recomenda-se o intervalo de, pelo menos, 2 (duas) horas entre uma Missa e outra;
  32. Disponibilizar solução álcool em gel 70% (setenta por cento) para higienização das mãos, designando uma única pessoa devidamente equipada com máscara para manusear o borrifador, evitando assim que muitas pessoas tenham contato com o mesmo objeto;
  33. Não serão permitidos bebedouros de uso comunitário e, não recomendamos o consumo de comidas e bebidas no local;
  34. Depois de cada celebração, os objetos litúrgicos e objetos utilizados na celebração sejam desinfetados com álcool em gel 70% ou álcool liquido a 70°. As superfícies normalmente utilizadas pelos fiéis (bancos, cadeiras, balcões, puxadores, microfones e pisos) devem ser igualmente higienizadas álcool líquido 70° ou hipoclorito de sódio ou água sanitária, quando o material da superfície permitir. A higienização deve ocorrer depois de cada celebração. No final de cada celebração favoreça-se a troca de ar deixando janelas e portas abertas;
  35. As instalações sanitárias disponibilizadas ao público deverão ser mantidas higienizadas, com limpeza geral obrigatória a cada intervalo de celebração, e deverão estar disponíveis aos usuários sabão líquido e papel toalha descartável para higienização das mãos, lixeiras com tampa e acionamento por pedal.

    E – Sobre os demais Sacramentos e Sacramentais

  36. Sacramento do Batismo: permanece suspenso, por enquanto;
  37. Sacramento da Reconciliação: os Padres podem e devem retornar os atendimentos de confissões e direções espirituais. Que os mesmos evitem as salas de atendimento, preferindo um lugar mais amplo e arejado. Que os atendimentos sejam rápidos e objetivos, com horários previamente agendados, respeitando as demais orientações de distanciamento entre o penitente e o confessor, como também o uso obrigatório de máscaras;
  38. Celebração das Primeiras Comunhões Eucarísticas e Sacramento da Crisma estão suspensas por enquanto;
  39. Celebração do Sacramento do Matrimônio: em diálogo com os noivos, a celebração do Matrimônio aconteça respeitando o número máximo previsto de lugares, conforme regras estabelecidas de volume máximo de 20% do espaço, preservando o distanciamento preconizado de 2 (dois) metros e o uso de máscaras. Caso os noivos desejem uma maior afluência de pessoas, proceda um novo agendamento da data;
  40. Nas celebrações das exéquias, os Padres, Diáconos ou ministros leigos designados para isso, realizem a celebração de maneira rápida e observem todas as recomendações sanitárias para os velórios de cada Município;
  41. As visitas aos enfermos nas casas permanecem suspensas por enquanto;
  42. Para os atendimentos aos enfermos nos hospitais, os Padres procurem exercer a solicitude pastoral e fraterna, administrando o Sacramento da Unção dos Enfermos quando solicitados, tendo presente todas as recomendações da instituição hospitalar. Os Padres que estão no grupo de risco deverão ser ajudados por outros presbíteros.

    F – Sobre as demais atividades da Ação Evangelizadora 

Todas as demais atividades da Ação Evangelizadora (Conselhos, Reuniões, Catequeses, Grupos de Oração, Celebrações da Palavra de Deus das Comunidades do Caminho Neocatecumenal, Convivências e Retiros, etc.) bem como as aulas do Centro Diocesano de Formação para o Laicato continuam suspensas presencialmente. Recomenda-se vivamente que os Agentes Pastorais continuem se reunindo através dos aplicativos de videoconferências.

 

Dom Vicente Costa
Bispo Diocesano

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima