19 de outubro de 2020

Jundiaí /SP

Pastoral do Empreendedor é auxílio em tempos de crise

Como a maioria das famílias está sentido na pele, a pandemia de Covid-19 está causando um forte impacto na economia doméstica. Aumento do preço dos produtos, redução de salários e desemprego tem provocado muita preocupação nos lares. Tal situação toca especialmente nas atividades da Pastoral do Empreendedor da Diocese de Jundiaí que tem buscado formas de auxiliar os empreendedores e profissionais liberais que, durante este período, não tem somente o próprio negócio e situação financeira afetada, como muitas vezes, precisam dispensar ou atrasar os salários dos seus colaboradores.

“Não culpe os empreendedores porque estão desesperados. Eu estou conversando com eles. Eu mesmo sou empreendedor e sei que minha vida está mudada, tenho que me adaptar. Se a gente conseguir passar por isso sem enfartar, com coragem, com equilíbrio, já é grande coisa”, pondera Alexandre Padilha Celani, coordenador diocesano da Pastoral do Empreendedor.

Assim como outros especialistas, Alexandre também afirma que o momento é de usar a criatividade e buscar alternativas, porém não é tão simples. Criatividade e inovação fazem parte do mundo corporativo e, se em condições “normais” encontrar novos caminhos para prosperar os negócios é um desafio, sob uma demanda tão grande de estresse, incerteza e medo por conta do momento atual, reinventar-se pode ser ainda mais difícil. Por isso, com uma equipe que conta com contadores, advogados, orientadores financeiros, a Pastoral do Empreendedor está atendendo individualmente aqueles que buscam uma luz neste período de crise. Segundo Alexandre, o objetivo é analisar cada situação e tentar sanar cada um dos problemas. Além dos atendimentos, na página do Facebook da pastoral há entrevistas e lives com orientações para este tempo, procurando levar ao público informações técnicas.

Confira abaixo uma entrevista que Alexandre fez com Padre Milton Rogério Vicente, coordenador do Setor de Comunicação da Diocese de Jundiaí.

Soluções simples

Às vezes, não são ideias mirabolantes ou grandes investidas que levarão a encontrar alternativas para enfrentar a crise. Este foi o caso de Silvio Germano dos Anjos, casado, pai de uma filha de 13 anos, paroquiano da Paróquia São João Bosco em Jundiaí, prestador de serviços gerais. Quando ele procurou a Pastoral do Empreendedor para novas opções em tempos pandêmicos, percebeu que a solução estava na palma da mão.

Os condomínios onde ele trabalha vetaram a entrada de prestadores de serviços, a não ser em caso de emergência. Um dos serviços feito por Sílvio é limpeza de caixa d’água, o que não se enquadra como serviço emergencial. Com as conversas dentro da Pastoral do Empreendedor, Silvio teve a iniciativa de usar mais o Whatsapp para entrar em contato com os clientes, adiantando possíveis problemas que não são perceptíveis no dia a dia como: ralo de boxe e pia entupidos, descarga vazando, entre outros.

Segundo ele, esses são problemas que as pessoas costumam “empurrar com a barriga”. Na correria do dia a dia, em tempos “normais”, juntar um pouco de água no chão no boxe em um banho de 15 minutos parece uma questão simples “que uma hora se resolve”. Ou então, não se percebe uma descarga vazando. Porém agora, com as famílias passando mais tempo em casa, há como perceber tais problemas que podem se agravar. O que Silvio faz é avisar aos clientes que não pode fazer a limpeza da caixa d’água, porém, pergunta e alerta sobre os possíveis problemas  citados. Uma vez que as pessoas se atentam para tais ocorrências que se enquadram como emergenciais, Silvio pode entrar nos condomínios para solucioná-los.

Dicas

“Aproveite este tempo para estudar, para relaxar, para colocar a cabeça no lugar. Isso é complexo, é difícil, reze”, aconselha Alexandre. Porém, ele pontua que cada família também precisa reavaliar a economia doméstica e se reeducar em certos hábitos, buscando medidas de economizar. “Quem tem dois carros, use apenas um; dê carona, compartilhe, assista apenas uma TV, se há duas geladeiras na casa, desligue uma. Reduza custos”, são algumas dicas.

Ele mesmo, no começo desta crise, ciente da situação que viria, sentou para conversar com as duas filhas, gêmeas de 11 anos. “Antes da conversa, eu pedi ajuda do Espírito Santo. Sentamos no chão da sala e conversamos sobre não pedir pizza no final de semana, por exemplo”, a conversa surtiu efeito, “na Páscoa, elas buscaram receita de ovos de chocolate e prepararam uma mensagem sobre a ressurreição de Jesus. A família se uniu para entender a redução e também entender que o dinheiro é o menos importante”.

Outro ponto que ele destaca é: Não tome decisões precitadas com base no que você vê na internet. Procure orientações sérias, de profissionais e fontes confiáveis. E mais: não compartilhe informações falsas.

Além destas medidas práticas, Alexandre também fala da importância da perseverança: “Se você for demitido, você vai encontrar outro trabalho, as coisas vão se movimentar. A Pastoral do Empreendedor Nacional desenvolveu uma oração colocando que Jesus é nosso sócio majoritário dos empreendedores. Rezem para que esse Jesus assuma o comando das empresas”.

Foi nesta espiritualidade da Pastoral do Empreendedor que Ivane da Silva Simão Ananias, de Várzea Paulista, encontrou ânimo para alavancar o negócio de salgados por encomenda. Entre idas e vindas, ela trabalha com isso há 18 anos, porém foi após perder o emprego em agosto passado que ela decidiu assumir o negócio de vez, mas tinha dificuldades para fazê-lo alavancar.

Com a ajuda da Pastoral do Empreendedor, mesmo com a crise, Ivane não parou a produção de salgados.

No período de desemprego, ela procurou a Pastoral do Empreendedor e afirma que foi um lugar em que se sentiu fortalecida. “A

Pastoral me ajudou a amadurecer algo que já estava ali. Me ajudou a ter foco, perseverança e auto confiança”. Mesmo assim, no começo da crise causada pelo corona vírus, ela perdeu diversas encomendas, num total de 600 salgados. “Mas foi com a força que recebi da Pastoral que tenho tido condições de enfrentar este período, sem desanimar, mas acreditando e focando”.

Ela também passou por algumas adaptações. Alguns ingredientes usados no preparo das massas estão em falta por conta da crise, de forma que ela precisou desenvolver novas receitas. Usando também das redes sociais, Ivane afirma que já conseguiu recuperar as perdas do início da crise e que as vendas não pararam.

Quem deseja conhecer ou entrar em contato com a Pastoral do Empreendedor, pode contactá-los pelo Facebook: www.facebook.com/pastoraldoempreendedor

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima