23 de setembro de 2020

Jundiaí /SP

Papa reconhece virtudes heroicas de carmelita ituana

No dia 24 de janeiro, o Papa Francisco aprovou a promulgação do Decreto das Virtudes Heroicas da Serva de Deus Madre Maria do Carmo da Santíssima Trindade, religiosa da Ordem das Carmelitas Descalças nascida em Itu (SP) em 25 de novembro de 1898 e falecida em 13 de julho de 1966.

Em 3 de novembro de 2009, a Santa Sé autorizou a abertura do processo de canonização de Madre Maria do Carmo da Santíssima Trindade, que passou a receber o título de “Serva de Deus”. A partir de então iniciou-se a primeira etapa do processo que é o da verificação das virtudes ou do martírio (no caso dos mártires). Para Madre Carminha essa etapa do processo não foi tão longa como costuma ser e foi comprovado que ela viveu as virtudes teologais (fé, esperança e caridade) e as virtudes cardeais (prudência, justiça, fortaleza e temperança) em grau heroico, passando agora a ser chamada de “Venerável”.

A próxima etapa será a aprovação de um milagre por intercessão da Venerável Madre Carminha. Se isso ocorrer, ela poderá ser Beatificada.

 

Biografia

 

A Venerável Madre Maria do Carmo da Santíssima Trindade nasceu em Itu (SP), em 25 de novembro de 1898, Festa de Santa Catarina de Alexandria, sendo batizada com o nome de Carmem Catarina Bueno.

Filha de Teotônio Bueno e Maria do Carmo Bauer Bueno (que devido à pouca idade ao dar à luz a Carmem, 15 anos, ficou com a saúde abalada), foi criada pela avó paterna, Dona Maria Justina Camargo Bueno (conhecida como “Nhá Cota”), em Campinas, onde teve por amigo de infância o futuro bispo de Taubaté (SP), Dom Francisco Borja do Amaral.

Em 1916, moraram por algum tempo na Ilha de Paquetá, na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro, transferindo-se no ano seguinte para São Paulo, onde a Venerável passou a estudar no Colégio Nossa Senhora de Sion.

Em 23 de setembro de 1917, ao se tornar Filha de Maria, sentiu o chamado do Senhor para consagrar-se inteiramente a Ele, dando então o seu “Sim”. Tendo um grande amor por Jesus e pela Igreja desde a juventude, sua piedade se tornava cada vez mais profunda. O seu grande amor era a Cruz de Cristo, o seu lema era ser humilhada como ele. Dedicava muito tempo à formação intelectual. Falava e escrevia em francês, escreveu pequenas obras literárias e aprendeu a arte da pintura.

Depois de ter lido o livro “História de uma Alma”, de Santa Teresinha de Lisieux, decidiu ser carmelita, escolhendo como diretor espiritual Dom Francisco de Campos Barreto, que a direcionou a viver cada vez mais uma vida de amor a Deus e cheia de virtudes.

Em 21 de abril de 1926, aos 27 anos, ingressou no Carmelo São José, no Rio de Janeiro, e em 24 de outubro de 1926 recebeu o Santo Hábito e o nome religioso de Irmã Maria do Carmo da Santíssima Trindade. Para buscar viver perfeitamente a humildade como meio de santificação, seguindo a orientação do seu diretor espiritual, fez o voto de mansidão.

Depois dos primeiros anos no mosteiro passou a exercer o Ofício de mestra de noviças, sub-priora e por fim priora. Como religiosa sempre demonstrou uma delicadeza e humildade especiais. Era a primeira a fazer os trabalhos mais humildes e a dar o exemplo de paciência e caridade para todas as monjas.

Em 1949 voltou a ser mestra de noviças, época em que começaram seus graves problemas de saúde. Em 1952 voltou a dirigir o Carmelo, quando nasceu a ideia de fundar um novo mosteiro, o Carmelo da Santa Face e Pio XII, que foi erigido na Diocese de Taubaté, cujo Bispo era Dom Francisco Borja do Amaral.

Com sua permissão, em 24 de agosto de 1953 partiram entre lágrimas as seis primeiras irmãs, dirigidas por Madre Carminha e a cofundadora, Madre Antonieta Maria. A Venerável era considerada por todos uma santa e muitas pessoas pediam para serem acompanhadas espiritualmente por ela.

Em 7 de julho de 1966 sofreu um derrame cerebral e entrou em coma profundo. Após uma semana de sofrimento, em 13 de julho, entregou santamente sua alma a Deus.

Já em vida a Venerável gozava de uma grande fama de santidade, o que se tornou ainda maior após sua morte.

Muitíssimos fiéis visitavam continuamente o seu túmulo, pedindo sua intercessão junto a Deus. Em vista da supressão do Carmelo de Tremembé e de sua transferência para Mairinque, São Paulo, no sexto aniversário da morte da Venerável, foi feita a exumação dos seus restos mortais e nessa ocasião o seu corpo foi encontrado intacto, inclusive suas vestes e as flores secas e, nem mesmo mau odor exalou de sua sepultura.

Sua missão, seu ensinamento e seu legado são: adorar a Sagrada Face de Cristo e reparar os ultrajes cometidos contra ela. Também fortalecer no coração dos fiéis o sensus Ecclesiae e a imolação constante pelo Pontífice reinante, mediante a oração quotidiana da Via Crucis e de uma vida de entrega total a Deus, na simplicidade, humildade e caridade, para atingir o seu ápice na união dos fiéis, como ela amava dizer: Congregavit nos in unum Christi amor!

 

Missa em Ação de Graças

 

Em 2 de fevereiro aconteceu no Carmelo da Santa Face e Pio XII de Tremembé (SP), a Missa em Ação de Graças pela aprovação da promulgação do Decreto para as Virtudes Heroicas de Madre Carminha, que contou com a presença da Irmã Maria Madalena de Jesus Crucificado, OCD, piora do Carmelo de São José de Jundiaí.

“Para a Ordem das Carmelitas Descalças é uma grande graça, porque foi reconhecida a santidade de mais uma de suas filhas, apesar de ainda não ter sido concluído o processo. Mas, não é o processo de canonização que torna alguém santo ou santa, mas sua vida de fidelidade ao seu Batismo e à sua vocação específica.

E no momento histórico em que vivemos, de tanta agitação, de tanto ativismo e correria, o reconhecimento das virtudes heroicas e santidade de uma monja de vida contemplativa, que viveu uma vida muito simples no seu Mosteiro, vem nos chamar a atenção que o essencial não é o que fazemos, mas o que somos. É o nosso ser que dá valor às nossas ações e essas só tem sentido se nascerem de um verdadeiro amor a Deus e aos irmãos”, celebra Irmã Maria Madalena.

No Carmelo São José de Jundiaí encontram-se santinhos e relíquias da Venerável Madre Maria do Carmo da Santíssima Trindade (Avenida Dom Pedro I, 531, Vila Loyola).

 

Fonte: www.vaticannews.va

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima