20 de abril de 2024

Jundiaí /SP

Papa Francisco na Hungria: sábado dedicado ao encontro com refugiados e crianças

Neste sábado, segundo dia da visita à Hungria, a Igreja neogótica de St. Elisabeth, em Budapeste, foi sede do encontro entre o Papa Francisco e cerca de mil fiéis, entre eles muitos refugiados.

Francisco agradeceu ao povo húngaro por ter acolhido refugiados vindos da Ucrânia e enfatizou a necessidade de uma cultura de caridade no país, que vem adotando uma política anti-imigração nos últimos anos, sob a liderança do primeiro-ministro Viktor Orbán. E alertou contra a “rigidez” e a tendência de “isolamento” nacionalista e fez um pedido para o fim dos males da indiferença.

Após ouvir vários testemunhos, o Papa agradeceu aos húngaros. Em particular, às associações religiosas “pelo esforço feito na caridade” e “pela forma como acolheram – não só com generosidade, mas também com entusiasmo – muitos refugiados da Ucrânia”.

Francisco também lembrou que o Evangelho instrui os cristãos a mostrarem amor e compaixão a todos, especialmente aqueles que experimentam a pobreza e a dor e “até mesmo aqueles que não são crentes”.

Segundo dados do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur), desde o início do conflito, mais de dois milhões de ucranianos transitaram pelo território húngaro, embora apenas 35 mil tenham solicitado o status de “proteção temporária” implementado pela União Europeia (UE).

Após o encontro na Igreja de Budapeste, o Papa se reuniu com o representante da Igreja Ortodoxa russa na Hungria, metropolita Hilarion, na embaixada da Santa Sé na capital húngara, reunião que foi “cordial”, de acordo com o Vaticano.

Hoje também, o Papa encontrou-se com crianças e jovens com deficiência que cantaram para ele. No final da manhã, Francisco visitou a comunidade greco-católica, uma Igreja oriental de rito bizantino que reconhece a autoridade do Papa.

 

Fonte:vaticannews

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima