21 de fevereiro de 2024

Jundiaí /SP

Papa concede indulgência plenária no jubileu de Santo Tomás de Aquino

O Papa Francisco concederá indulgência plenária a quem participar das celebrações nos dois anos do jubileu de Santo Tomás de Aquino, no marco das preparações para comemorar os 800 anos de seu nascimento.

O jubileu começou em 28 de janeiro de 2023 e inclui a celebração dos 700 anos da canonização de Santo Tomás, ontem (18), e outros dois aniversários do “Doutor Angélico”. A indulgência pode ser lucrada até o final do jubileu de santo Tomás de Aquino, em 28 de janeiro de 2025.

Santo Tomás de Aquino, religioso da Ordem dos Pregadores (dominicanos), foi canonizado em 18 de julho de 1323 pelo Papa João XXII. A Igreja celebra este 700º aniversário hoje (19), com uma Missa às 18h40 (hora local), missa na abadia de Fossanova, onde o santo morreu e que fica a cerca de 113 km ao sul de Roma.

O Papa Francisco nomeou o prefeito do dicastério para as Causas dos Santos, Cardeal Marcello Semeraro, como seu enviado especial para a celebração da missa.

No dia 7 de março de 2024, a Igreja recordará os 750 anos da morte de santo Tomás. Ele morreu em 1274 quando viajava para o segundo Concílio de Lyon, França. Adoeceu durante a viagem e parou na abadia cisterciense de Fossanova.

Três meses antes de morrer, ele experimentou uma revelação profunda enquanto celebrava a missa, quando sua obra mais significativa, a Summa Theologiae ou Suma Teológica, estava quase concluída. Após a revelação, o santo disse ao irmão Reginald, seu amigo e secretário: “Chegou o fim do meu trabalho. Tudo o que escrevi não passa de palha depois das coisas que me foram reveladas”, e nunca mais escreveu.

O jubileu de dois anos dos dominicanos será concluído com a festa de santo Tomás de Aquino em 28 de janeiro de 2025, 800º aniversário de seu nascimento.

Tomás de Aquino nasceu em 1225 na cidade italiana de Roccasecca, cerca de 128 quilômetros a sudeste de Roma, que naquela época fazia parte do reino da Sicília.

A Santa Sé divulgou uma carta em latim na semana passada na qual o Papa Francisco elogiou Santo Tomás por sua “imensa sabedoria espiritual e humana”. “Brilhou com reta inteligência e lucidez, e enquanto investigava reverentemente os mistérios divinos com a razão, os contemplava com fé fervorosa”, escreveu o Papa.

Como lucrar a indulgência plenária

A indulgência pode ser lucrada fazendo uma peregrinação a um lugar santo associado aos dominicanos, seja para fazer parte das celebrações do jubileu ou “pelo menos” para dedicar “um tempo adequado em recolhimento piedoso”. Ao concluir, deve-se rezar o Pai Nosso, o Credo e invocar a intercessão da Bem-Aventurada Virgem Maria e de Santo Tomás de Aquino.

Qualquer igreja, santuário ou capela atualmente confiada aos dominicanos pode atender aos requisitos para a referida peregrinação.

Segundo um decreto da Penitenciária Apostólica da Santa Sé, a indulgência plenária é concedida aos “fiéis verdadeiramente penitentes e caridosos” nas condições habituais: estar em estado de graça, rejeitar totalmente o pecado, rezar pelas intenções do papa, confessar seus pecados e receber a comunhão até 20 dias antes ou depois da peregrinação.

A Penitenciária Apostólica também disse que a indulgência também pode ser obtida em favor das almas dos fiéis defuntos que ainda permanecem no purgatório.

Uma indulgência, segundo o Catecismo da Igreja Católica, é “a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida pelos pecados já perdoados quanto à culpa”.

Também podem lucrar a indulgência plenária os idosos, os doentes e os que, por algum motivo grave, não possam sair de casa “se, desprezando todos os seus pecados e com a intenção de cumprir o quanto antes as três condições costumeiras, se unirem espiritualmente às celebrações jubilares, diante de uma imagem de santo Tomás de Aquino, oferecendo suas orações ao Deus misericordioso, assim como as dores e males de suas vidas”.

O mestre da Ordem dos Pregadores, padre Gerard Francisco Timoner III, expressou em comunicado o seu desejo de que este jubileu de santo Tomás de Aquino “nos leve a servir a Deus e à Igreja com grande dedicação e profunda humildade”. Recordou como o santo dominicano encorajou o irmão Reginald “a não buscar recompensa neste mundo, exceto estar com Deus –Domine, non nisi Te (Senhor, nada além de ti)”.

Fonte: acidigital.com

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima