10 de julho de 2020

Jundiaí /SP

Menu

Oito décadas de alegria missionária

A Congregação das Irmãs Missionárias de Cristo celebrou os seus 80 anos de fundação, no dia 3 de fevereiro, mesma data em que, no ano de 1940, o decreto da criação do noviciado foi assinado pelo então Arcebispo de São Paulo, Dom José Gaspar de Affonseca e Silva, na casa paroquial da Catedral Nossa Senhora do Desterro. Monsenhor Arthur Ricci, à época, o Cura da Catedral, testemunhou esse ato.

Trata-se da única Congregação nascida no território da Diocese de Jundiaí.

Para a Superiora geral, Madre Maria de Lourdes Moraes, CMC , é momento de render  graças a Deus. Sobre os próximos desafios para a próxima década, a religiosa pondera que  “Vivemos em uma sociedade na qual predomina a cultura de morte, marcada pelo egoísmo, o materialismo, o imediatismo e a cultura do descartável, na qual a pessoa vale mais pelo que tem e pelo que produz. Desta realidade resulta o enfraquecimento da prática religiosa e o indiferentismo” Assim, “todo futuro, sabemos que está nas mãos de Deus.  E conclui  “O que nos motiva é saber que os mesmos valores que nos animaram desde a nossa Fundação, nos sustentam no presente e nos garantem a eficácia da missão da Congregação no futuro. Nossas Irmãs optam pelo segmento radical de Cristo sendo contemplativas em ação, e vivam a perenidade do Carisma: Evangelizando os mais necessitados, pelo testemunho de vida na simplicidade e na alegria a serviço de Deus e aos irmãos”.

Retiro iniciou as comemorações

Foram quatro dias, com assembleia, formação, espiritualidade, ingresso de quatro aspirantes, nove postulantes, quatro noviças. No último dia, em 2 de janeiro, o Bispo Diocesano, Dom Vicente Costa, e vários presbíteros celebraram a missa em ação de graças, com rito de votos temporários da irmã Milena Ferraz; e votos perpétuos de pobreza, obediência e castidade das irmãs Luzia Gomes e Luciana Mattos. Participaram fiéis, familiares das irmãs, amigos e benfeitores da Congregação.

Para irmã Luciana, a celebração dos votos trouxe um enorme sentimento de gratidão: “Por mais belas que fossem as palavras, nenhuma delas seria capaz de expressar este momento tão importante para nós, nossas famílias e nossa Congregação das Missionárias de Cristo. Mas gratidão nos define: Gratidão a Deus por nossa vida e vocação; gratidão às nossas famílias que desde o princípio nos apoiaram e estiveram conosco neste dia tão especial; gratidão a todos os nossos amigos de perto e de longe que se dispuseram estar conosco nesta grande festa; gratidão a todos que colaboraram na música, ornamentação, cozinha… Enfim, a todos, Deus lhes pague”.

E as comemorações seguiram no dia 3, memória da fundação, ocasião em que as religiosas peregrinaram até a cripta da Catedral da Sé, no centro de São Paulo, para agradecer na Eucaristia, junto ao túmulo do fundador. Em seguida, visitaram o Mosteiro São Bento onde foram acolhidas por Dom Mathias Tolentino Braga, OSB, Abade do Mosteiro, e comunidade beneditina, para a oração da Hora Média. Seguiu-se um almoço festivo para as Missionárias.

Para essa visita, as religiosas foram acompanhadas por Dom Dionísio Fernandes Calheiros, OSB, capelão do Mosteiro de São Bento de Jundiaí.

“Nossa eterna gratidão aos beneditinos pois também eles fazem parte da nossa história, e procuramos manter a parceria em nossa atuação social”, declarou irmã Alcinda Primon, CMC, em nome das religiosas.

E para finalizar, no dia 4 de fevereiro, as irmãs peregrinaram ao Santuário Nacional, em Aparecida (SP), para agradecer a intercessão da Virgem, por seu modelo de espiritualidade no seguimento de Jesus  e na busca em fazer sempre a vontade do Pai. Neste local, as religiosas também recordaram o carinho de seu fundador pela Virgem Mãe. Dom José Gaspar de Affonseca e Silva foi um dos idealizadores da construção do Santuário Nacional de Aparecida.

A Congregação hoje

Atualmente a Congregação está presente:

* Na Diocese de Jundiaí: em Louveira (residência das Irmãs); em Jundiaí,  na Casa Geral; Casa de Formação;  e em entidades filantrópicas como: Aprendizado Dom José Gaspar e Casa da Criança Nossa Senhora do Desterro;  e na direção da Escola Diocesana de Formação do Laicato e assessoria da Comissão Missionária Diocesana (COMIDI).

* Em três paróquias na Diocese de Marabá (PA).

* Em duas paróquias na Diocese de Ipameri (GO).

* Na Paróquia de Pirapozinho, em Presidente Prudente (SP) e no Centro de recuperação de usuários adolescentes.

* Na Arquidiocese de Lanciano (Itália).

* Na Paróquia de Simonésia na Diocese de Caratinga (MG), a partir do dia 17 de fevereiro de 2020.

* Mantém duas equipes itinerantes de irmãs que atuam nas Missões Populares. A primeira opera em parceria com os Missionários Redentoristas e a segunda equipe atua nas Missões Volantes em diversas paróquias das dioceses.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima