NOTA REFERENTE AO 8º GRITO DOS EXCLUÍDOS DA DIOCESE DE JUNDIAÍ

NOTA REFERENTE À MATÉRIA VINCULADA NA INTERNET SOBRE O

8º GRITO DOS EXCLUÍDOS DA DIOCESE DE JUNDIAÍ

 A Equipe Organizadora do 8º Grito dos Excluídos da Diocese de Jundiaí, após tomar conhecimento da denúncia vinculada nas redes sociais sobre o fato ocorrido durante este evento realizado no último dia 07 de setembro de 2018, na frente da Catedral de Jundiaí, vem publicamente apresentar seus esclarecimentos.

Primeiramente, faz se necessário recordar que: “a proposta do Grito dos Excluídos brotou do seio da Igreja, em 1995, para aprofundar o tema da Campanha da Fraternidade daquele ano, que tinha como lema ‘Eras tu, Senhor’, e para responder aos desafios levantados na 2ª Semana Social Brasileira, realizada em 1994, cujo tema era ‘Brasil, alternativas e protagonistas’” (CNBB – História do Grito dos Excluídos). Na Diocese de Jundiaí, o Grito dos Excluídos foi proposto com a chegada do Bispo Diocesano, Dom Vicente Costa, sendo anualmente organizado pelo Fórum das Pastorais Sociais, com a Celebração Eucarística, às 15h00 na Catedral, sendo realizado um Ato Público na praça, após o encerramento desta Celebração. Devido aos compromissos diocesanos, o Bispo Diocesano não se fez presente no ferido Ato Público.

É importante esclarecer que os Agentes das Pastorais Sociais, destinatários privilegiadas do Grito dos Excluídos, como cidadãos, têm o direito a fazer uma opção política. Mas a Igreja Católica, à qual eles pertencem, como instituição, não pode ser partidária, apoiando determinado partido ou candidato políticos. Por isto, durante a Celebração Eucarística presidida por Dom Vicente, todos receberam a orientação para que não se realizassem manifestações político-partidárias e que os candidatos ao pleito, ali presentes, não fizessem uso da palavra durante o ato público.

Durante o ato público, foram dados vários testemunhos, alguns muito comoventes, da situação social em que se encontra o nosso país, particularmente a grave crise que atinge as pessoas mais pobres e carentes. Ocorre que, infelizmente, uma única manifestante, ao terminar sua fala, pronunciou seu grito de cunho nitidamente partidário. Afirmamos que, essa manifestação refere-se a uma fala particularizada, não podendo e nem devendo ser imputada à Diocese de Jundiaí, mesmo tendo sido acolhida por alguns simpatizantes, individualmente.

A Equipe Organizadora, formada por integrantes do Conselho Diocesano dos Leigos (CDL) e da Pastoral Fé e Política Diocesana, em plena comunhão com o pensamento social da Igreja Católica, entende que o momento para tal manifestação partidária não era adequado, e que esta pessoa, notoriamente ligada a um partido político, extrapolou os limites propostos, pegando todos os presentes no Ato Público de surpresa. Portanto, deixamos claro que esta manifestação não teve a aprovação e nem a autorização dos organizadores do evento, muito menos do Bispo Diocesano.

Por outro lado, a Equipe Organizadora manifesta também sua indignação para com o produtor da divulgação nas redes sociais desta única manifestação partidária, desconectada completamente do restante de todo o Ato Público e apresentada de forma leviana e distorcida com a clara intenção de denegrir o evento, causando com isto comentários negativos de pessoas que não tinham acesso a todo o desenrolar deste ato. Desta maneira, a ação divulgada nas redes sociais não contribui, de forma alguma, a manifestar e fortalecer o amor e à comunhão à nossa Igreja Católica. Pois a Igreja, Mãe e Mestra, orienta seus filhos e suas filhas a conviverem pacificamente, respeitando-se mutuamente e valorizando toda grandeza de tantos atos e gestos proféticos de agentes pastorais, muito deles permanecem no anonimato, na defesa e na promoção da vida, desde a sua concepção até seu término natural e defendendo tantos irmãos e irmãs que, infelizmente, ainda não têm “vida em abundância” conforme o Projeto de Jesus Cristo (Jo 10,10).

Por fim, queremos nos pautar pela Sagrada Escritura que diz: “Suportai-vos uns aos outros e, se um tiver motivo de queixa contra o outro, perdoai-vos mutuamente. Como o Senhor vos perdoou, fazei assim também vós. Sobretudo, revesti-vos do amor, que une a todos na perfeição” (Cl 3,13-14).

Fraternalmente em Cristo Jesus,

17 de setembro de 2018

Equipe Organizadora do Grito dos Excluídos da Diocese de Jundiaí, Coordenação do Conselho Diocesano de Leigos (CDL) e Pastoral Fé e Política.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *