23 de julho de 2021

Jundiaí /SP

Normas e Diretrizes Diocesanas para a Preparação e Recepção dos Sacramentos da Iniciação à Vida Cristã

Os discípulos perguntaram: ‘Mestre, onde moras?’ Jesus respondeu: ‘Vinde e vede’”! (cf. Jo 1,38-39).

Prezados irmãos e irmãs da Igreja de Deus que se faz presente na Diocese de Jundiaí:

Ser cristão, batizado no mistério de Cristo, crismado no seu Espírito e alimentado pelo sacrifício e refeição eucarística não pode reduzir-se à simples recepção dos Sacramentos do Batismo, da Crisma e da Primeira Eucaristia, considerando-os o ponto final da catequese. Muito pelo contrário! A recepção e a vivência destes três Sacramentos da Iniciação à Vida Cristã constituem um caminho constante e crescente do discipulado de Jesus Cristo. Significa ser iniciado na vida da Pessoa de Jesus Cristo, configurar-se ao seu modo de ser e de agir, para nunca mais parar neste itinerário de ser discípulo apaixonado e missionário fervoroso de Jesus Cristo, a serviço do seu Reino e pertencendo à sua Igreja. Dar os primeiros passos numa caminhada que não admite parar ou voltar para trás, a ponto de dizer, como o Apóstolo São Paulo: “Eu vivo, mas não eu: é Cristo que vive em mim” (Gl 2,20).

Partindo desse pressuposto, deduzimos que a resposta de Jesus à pergunta dos discípulos − “Vinde e vede!” − atravessa os séculos e constitui o convite que Ele faz também a nós, hoje, para que, vivenciando a experiência daqueles primeiros discípulos (cf. Jo 1,38-39), possamos conhecê-lo mais de perto, deixar tudo para trás, para que Ele permaneça sempre conosco e nós sempre na intimidade e na comunhão de sua Pessoa, rumo à plena maturidade, quando “seremos semelhantes a ele, porque o veremos tal como ele é” (1Jo 3,2).

Queridos irmãos diocesanos: A Diocese de Jundiaí, com o intuito de que esse convite de Jesus atinja todos os homens e mulheres do nosso tempo, em breve publicará um novo subsídio muito importante para a ação evangelizadora diocesana: as Normas e Diretrizes Diocesanas para a Preparação e Recepção dos Sacramentos da Iniciação à Vida Cristã.

Longe de ser uma coletânea de normas e diretrizes que possa parecer como um fardo pesado imposto sobre as costas dos nossos fiéis − particularmente àqueles que não participam, por um motivo ou outro, plenamente da nossa vida eclesial − estas normas e diretrizes têm o único objetivo de salientar a infinita riqueza dos três Sacramentos da Iniciação à Vida Cristã, bem como possibilitar e aprofundar o itinerário catecumenal no seguimento de Jesus Cristo. Como bem afirma o Documento da CNBB, n. 107, lançado recentemente, após ter sido aprovado na 55ª Assembleia Geral da CNBB (Aparecida – SP, 26 de abril a 5 de maio de 2017), com o título: Iniciação à vida cristã: itinerário para formar discípulos missionários: “A Iniciação à Vida Cristã é graça benevolente e transformadora que nos precede e nos cumula com os dons divinos do Pai, em Cristo, pelo Espírito. (…) (Pois) no Batismo assumimos a condição de filhos do Pai, a Crisma nos unge com unção do espírito e a Eucaristia nos alimenta com o próprio Cristo, o Filho” (n. 91).

Espero confiantemente que estas Normas e Diretrizes Diocesanas para a Preparação e Recepção dos Sacramentos da Iniciação à Vida Cristã nos ajudem a nos formar e nos fortalecer como autênticos discípulos missionários do Mestre, em estado permanente de conversão e de missão.

São três os pressupostos da frutuosa recepção e vivência autêntica dos Sacramentos do Batismo, da Crisma e da Eucaristia:

  1. Os Sacramentos da Iniciação à Vida Cristã, como já salientei anteriormente, visam fazer o cristão se envolver íntima e profundamente, “se apaixonar”, “fascinar-se” pela Pessoa de Jesus Cristo. O referido Documento da CNBB descreve este processo como “mergulho no mistério de Cristo” (cf. nn. 83-87). É viver “por Cristo, com Cristo e em Cristo”, o que transforma a existência do cristão por completo, reconhecendo no Filho de Deus Encarnado o sentido pleno e definitivo da vida e da história humana.

  1. Os Sacramentos da Iniciação à Vida Cristã exigem uma nova configuração da Igreja, menos “sacramentalista”, para ser uma comunidade verdadeiramente missionária, isto é, uma Igreja mais focada na Missão e no anúncio corajoso do querigma (a verdade fundamental da salvação realizada pelo Mistério da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor Jesus).

  1. Os Sacramentos da Iniciação à Vida Cristã exigem um processo sério e permanente de formação. Primeiramente, é preciso crer no novo e na inspiração sempre renovadora do Espírito Santo, Protagonista da Nova Evangelização. “Ir para as águas mais fundas” (cf. Lc 5,4) exige reunir forças em torno deste projeto diocesano e conhecer a fundo suas novas propostas. Nesta tarefa torna-se absolutamente necessária a formação de todos os agentes de pastoral, particularmente aqueles mais diretamente envolvidos com a ação evangelizadora dos Sacramentos da Iniciação à Vida Cristã.

Neste sentido, para que nossos Presbíteros, Diáconos Permanentes, Auxiliares das Secretarias Paroquiais, Coordenadores e catequistas da Comissão para a Animação Bíblico-Catequética nos níveis Batismo, Crisma e Iniciação à Eucaristia tomem conhecimento e assimilem a nova prática pastoral da preparação e da recepção dos Sacramentos da Iniciação à Vida Cristã, serão organizados vários encontros por Região Pastoral (cf. os detalhes desses Encontros estão na página 7 desta edição do Jornal Diocesano O Verbo). Peço encarecidamente que todos os responsáveis participem desses encontros.

Por fim, exorto vivamente os irmãos Presbíteros e diáconos, como também os agentes de pastoral da nossa Diocese, a observar e cumprir fielmente tudo o que estas Normas e Diretrizes estabelecem. Sabemos, por experiência própria, que as atitudes que passam por cima de tudo aquilo que foi refletido comunitariamente e aprovado em comum acordo causam graves rupturas, às vezes, irreparáveis, no seio da nossa amada Igreja.

Invoco a proteção maternal de Maria, Perfeita Discípula Missionária de Jesus, para que nossa Igreja saiba gerar seus filhos e filhas capazes de “fazer tudo o que Ele lhes disser” (cf. Jo 2,5) e acompanhá-los continuamente.

E a todos abençoo, particularmente os que mais diretamente são envolvidos na preparação daqueles que desejam receber os Sacramentos da Iniciação à Vida Cristã, para que se tornem discípulos apaixonados e missionários fervorosos de Jesus Cristo, a serviço do Reino de Deus Pai, pela força do Espírito Santo.

Dom Vicente Costa
Bispo Diocesano

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

CÚRIA DIOCESANA
DE JUNDIAÍ

Rolar para cima