25 de setembro de 2021

Jundiaí /SP

No Ano de São José, fiéis católicos poderão obter as Indulgências

 

“Todos podem encontrar em São José um intercessor, um amparo e um guia nos momentos de dificuldade…”

O Papa Francisco anunciou a convocação de um Ano dedicado a São José, por ocasião do 150º aniversário da declaração do santo como padroeiro da Igreja Católica, no qual será possível obter a indulgência plenária, ou seja, o perdão dos pecados, principalmente em decorrência da pandemia do novo coronavírus Sars-CoV-2.

O Ano de São José prevê que a Igreja Católica conceda o perdão seguindo uma série de condições estabelecidas pelo Supremo Tribunal da Penitenciária Apostólica, corte responsável pela regulação das indulgências.

A indulgência será concedida a todos “aqueles que se desapegaram do pecado” e tiverem “a intenção de cumprir, o mais cedo possível, as três condições habituais” como um ato de piedade: confissão, comunhão e oração. Além disso, neste ano, será necessário realizar um ato de oração em homenagem a São José.

Indulgência Plenária

Por meio de um decreto aprovado pelo Papa Francisco e assinado pelo Penitenciário-Mor, Cardeal Mauro Piacenza, o Santo Padre convocou este Ano de São José, que pretende “que todos os fiéis com o seu exemplo (de São José) possam fortalecer diariamente a sua vida de fé em plena realização da vontade de Deus”.

“Todos os fiéis terão assim a possibilidade de se comprometer, mediante a oração e as boas obras, a obter com a ajuda de São José, chefe da celeste Família de Nazaré, consolo e alívio das graves tribulações humanas e sociais que hoje afligem o mundo contemporâneo”.

As modalidades nas quais se concederá a indulgência plenária no Ano de São José, que começou no último dia 8 de dezembro, são as seguintes:

A indulgência plenária é concedida àqueles que meditarem pelo menos durante 30 minutos na oração do Pai-Nosso, ou participarem em um Retiro Espiritual de pelo menos uma jornada no qual se realize uma meditação sobre São José”.

“Aqueles que, com o exemplo de São José, realizem uma obra de misericórdia corporal ou espiritual poderão lucrar o dom da indulgência plenária”.

“Para que todas as famílias cristãs se sintam encorajadas a recriar o mesmo ambiente de íntima comunhão, amor e oração que se vivia na Sagrada Família, é concedida a indulgência plenária pela oração do Santo Terço nas famílias e entre os noivos”.

“A indulgência plenária pode ser lucrada por aqueles que confiem cotidianamente suas atividades à proteção de São José e cada fiel que invoque com a oração a intercessão do Artesão de Nazaré para que, quem se encontre procurando emprego, possa encontrar ocupação e que o trabalho de todos seja digno”.

“A indulgência plenária é concedida aos fiéis que recitem as Ladainhas a São José (para a tradição latina), ou o Akathistos a São José, inteiro ou pelo menos uma parte (para as tradições bizantinas), ou outra oração a São José propriamente dita de outras tradições litúrgicas pela Igreja perseguida ad intra e ad extra e para o alívio de todos os cristãos que sofrem alguma forma de perseguição”.

Além disso, “para reafirmar a universalidade do patrocínio de São José sobre a Igreja, além dessas razões, a Penitenciária Apostólica concede indulgência plenária aos fiéis que recitarem qualquer oração legalmente aprovada ou ato de piedade em homenagem a São José”.

“Por exemplo, ‘A ti, oh, San José’, especialmente de 19 de março a 1º de maio, na festa da Sagrada Família de Jesus, Maria e José; no domingo de São José (segundo a tradição Bizantina); no dia 19 de cada mês e todas as quartas-feiras, dia dedicado à memória do Santo segundo a tradição latina”.

O Decreto termina especificando que “no atual contexto de emergência sanitária, o dom da indulgência plenária estende-se de modo particular aos idosos, aos doentes, aos moribundos e a todos aqueles que por motivos legítimos não podem sair de casa, aos quais, com a alma livre de todo pecado e com a intenção de cumprir, na medida do possível, as três condições habituais, em casa ou onde estiverem devido à doença, recitem um ato de piedade em homenagem a São José , consolo dos enfermos e padroeiro da boa morte, oferecendo com fé a Deus as dores e sofrimentos da vida”.

Ano de São José

O ano especial dedicado a São José foi instituído com a publicação da carta apostólica “Patris corde“, pelo Papa Francisco. “O objetivo desta carta apostólica é aumentar o amor por este grande Santo, para nos sentirmos impelidos a implorar a sua intercessão e para imitarmos as suas virtudes e o seu desvelo”, explica o Pontífice.

O Papa Francisco fala sobre São José sob sete aspectos: “pai amado, na ternura, na obediência, no acolhimento, com coragem criativa, trabalhador e pai na sombra”.

A Carta apostólica também aborda os sinais da pandemia da Covid-19, que “nos fez compreender a importância das pessoas comuns, aquelas que, distantes dos holofotes, exercitam todos os dias paciência e infundem esperança, semeando corresponsabilidade”, assim como São José, “o homem que passa desapercebido, o homem da presença cotidiana discreta e escondida”.

Fonte:vatican.va /acidigital.com

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Rolar para cima