15 de junho de 2024

Jundiaí /SP

Pesquisar

Missão em Roraima: Primeiro mês em terras roraimenses

“Completamos nosso primeiro mês em terras roraimenses, já passamos pelos primeiros dias de adaptação e já nos encontramos bem instalados, some-se a isso a fraterna acolhida do Padre Edmilson”, assim o seminarista Bruno Bussolini inicia seu testemunho acerca da experiência missionária que está vivendo na Diocese de Roraima.

Em 7 de fevereiro, o Padre Eduardo Augusto Belão e os seminaristas diocesanos Allan Rodrigues dos Santos, Jean Carlo dos Santos Cambuim e Raphael Pitthan Gomes Casaca, Bruno Bussolini, Douglas Fagundes de Souza e Gustavo Vieira da Silva partiram para missão Ad Gentes na Diocese de Roraima.

O Padre Eduardo Belão e os seminaristas Allan Rodrigues dos Santos, Jean Carlo dos Santos Cambuim e Raphael Pitthan Gomes Casaca estão na Paróquia São João Batista e São Luíz (Municípios São João da Baliza e São Luíz do Anauá), enquanto os seminaristas Bruno Bussolini, Douglas Fagundes de Souza e Gustavo Vieira da Silva encontram-se na Área Missionária Santo Isidoro (Município de Caroebe), onde está o Padre Edmilson Abreu Silva.

Chegada na Paróquia São João Batista

Ao completarem o primeiro mês da experiência, Bruno escreveu com exclusividade para os fiéis da Diocese de Jundiaí. Confira:

“A cultura do povo católico é muito semelhante em todo lugar, temos os mais fiéis, os mais desleixados, os mais presentes e aqueles que aparecem de vez em quando, mas nos deparamos com uma comunidade fiel e interessada, desejosa da nossa presença e sedenta de conhecimento.  Como chegamos quase que concomitantemente à Quaresma, auxiliamos o Padre Edmilson na implementação de práticas quaresmais para que a comunidade possa viver bem esse tempo de preparação para a Páscoa, evidentemente com a ideia de que algumas práticas sejam consolidadas na realidade local”, escreveu.

Área Missionária: Missa de acolhida

Nesse sentido, a equipe de seminaristas missionários organizou e realizou, no dia 25 de fevereiro, um Retiro Quaresmal, oportunidade em que apresentaram para a comunidade paroquial a Campanha da Fraternidade de 2023. Com o passar dos dias,  outras ações têm-se somado, como descreve:

“Também ajudamos na restauração do grupo de jovens com uma ênfase formativa e no socorro pontual de algumas pendências da catequese, sobretudo assumindo a turma de adultos e assessorando a turma da Eucaristia”.

Bruno destaca que “ A cultura local é um pouco diferente da nossa, os recursos disponíveis também, mas nada que não seja deslumbrante pela novidade”.

A adaptação à vida local, especialmente às temperaturas altas, não chega a ser um desafio. “O clima também é marcante, dizem os nossos fiéis que não enfrentaremos nenhuma experiência de frio por aqui, a média é acima de 30°”, confirma.

A visita às comunidades paroquiais, conhecidas por “comunidades vicinais” têm acontecido naturalmente “Aos poucos o Senhor vai nos espalhando por essas terras enquanto nós jogamos algumas sementes do Evangelho”, constata.

Sobre o trabalho pastoral, Bruno destaca que no momento estão trabalhando na retomada da Pastoral da Criança “que havia parado de atuar desde o advento da pandemia”, e estão acompanhando trabalho da Pastoral dos Migrantes, “que auxilia alguns irmãos venezuelanos que foram acolhidos na cidade”.

A grande expectativa agora é para a chegada do novo Bispo de Roraima, Dom Evaristo Spengler, que foi nomeado pelo Papa Francisco em 25 de janeiro deste ano. A Diocese de Roraima está vacante desde fevereiro de 2022, quando Dom Mário Antônio da Silva foi transferido para a Arquidiocese de Cuiabá (MT). E Dom Evaristo vai tomar posse como o 10º Bispo a iniciar o Ministério Pastoral e Apostólico na Diocese de Roraima, no próximo dia 25 de março. A celebração será na Igreja Catedral Cristo Redentor.

Bruno também fala da expectativa para a visita de Dom Arnaldo Carvalheiro Neto, Nosso Bispo diocesano, prevista para o final deste mês de março.

“Pela oração permanecemos em comunhão com nossa amada Diocese de Jundiaí, pedimos que renovem suas orações pela experiência missionária que estamos vivendo aqui: não se esqueçam de rezar por nós!”, conclui.

 

Rolar para cima
Rolar para cima