15 de abril de 2024

Jundiaí /SP

Missa do Crisma celebra a unidade da Igreja

Celebração foi presidida por Dom Arnaldo e reuniu o clero da Diocese de Jundiaí.

  “nesta missa que o bispo concelebra
com o seu presbitério e
na qual consagra o santo crisma e
abençoa os outros óleos,
se dá a manifestação da comunhão
dos presbíteros com o seu bispo”
(Cerimonial dos Bispos, cap. 7 – nº 274).

A Missa do Crisma da Diocese de Jundiaí reuniu na noite desta quarta-feira (27), na Catedral Nossa Senhora do Desterro, em Jundiaí, o clero, religiosos (as), seminaristas e leigos que representaram os fiéis das 70 paróquias do território que compreende a Diocese. A missa foi presidida por Dom Arnaldo Carvalheiro Neto, Bispo Diocesano, e concelebrada por Dom Vicente Costa, Bispo-Emérito, e pelo Vigário Geral, Pe. Carlos José Virillo.

 A Missa do Crisma ou dos Santos Óleos, como também é conhecida, é, para a Igreja, sinal de comunhão. Nesse sentido, em sua homilia, Dom Arnaldo falou dos Óleos da Crisma e dos Catecúmenos, como dons oferecidos na Cruz do Senhor, da sua Páscoa, e do seu Espírito doado “gratuitamente e graciosamente”. Ao se referir ao batismo e à crisma, o bispo utilizou a imagem da criança e do jovem apaixonado, como também ao sacramento da Ordem. “Viver a espiritualidade cristã implica em tornar-se criança e viver apaixonado pelo Evangelho como um jovem quando experimenta o seu primeiro amor”, disse. Também referiu-se ao Óleo dos Enfermos, como ministério da cura. E por fim, refletiu sobre a importância da comunhão presbiteral e exortou a comunhão do amor trinitário como fonte de toda a ação da Igreja. “Os Santos Óleos são mais eficazes se administrados na comunhão e na caridade! O Amor tudo pode!! Sua força é irresistível!!”, concluiu.

Durante o rito, os presbíteros renovaram as promessas sacerdotais e Dom Arnaldo abençoou os óleos dos enfermos e dos catecúmenos, e consagrou o óleo do Crisma, que serão utilizados no decorrer do ano litúrgico na administração dos sacramentos pela diocese.

Dom Arnaldo presenteou os padres com um exemplar do livro “Os relatos da Paixão: Meditações” de autoria do Cardeal Carlo Maria Martini.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima