8 de agosto de 2020

Jundiaí /SP

Menu

Matéria especial: As Equipes de Nossa Senhora são a presença da Igreja no seio das famílias

Ao completarem 70 anos de presença no Brasil neste mês de maio, as Equipes de Nossa Senhora permanecem percorrendo o caminho da espiritualidade, por meio de casais que buscam no Sacramento do Matrimônio um ideal de vivência cristã e da vida em santidade. E mesmo nestes tempos de distanciamento social, os encontros e os serviços se mantêm vivos e dinâmicos, sem perder a essência. As equipes, se utilizando dos meios digitais, mantêm acesa a chama do amor de Deus em suas casas e em seus matrimônios.

Comemorações

Em Jundiaí, a comemoração contou com uma missa transmitida online, concelebrada por três padres conselheiros: Padre Milton Rogério Vicente, Padre João Renan Paisca Bersan e Padre Lupércio Batista Martins e foi acompanhada por mais de 400 casais equipistas pela internet.

Em nível nacional, foram realizados três eventos para comemoração dos 70 anos: uma missa transmitida pela internet no dia 13 de maio, presidida por Dom Moacir Arantes, Conselheiro da Super Região Brasil. No dia 14 de maio, um encontro histórico reuniu em uma live todos os casais responsáveis que passaram pela coordenação a nível de Brasil, e por fim, no dia 16, ocorreu uma peregrinação virtual ao Santuário Nacional de Aparecida, com um terço envolvendo os casais provinciais e regionais, seguido por uma missa presidida pelo Fábio Evaristo, um sacerdote redentorista e equipista. Na celebração, o casal provincial Rose e Rubens esteve presencialmente representando todos os casais do Brasil, que acompanharam a transmissão em um canal do YouTube.

 Breve Histórico

Padre Henri Caffarel, fundador das ENS.

 

Fundado em Paris, na França, em 1939, pelo Padre Henri Caffarel, que hoje está em processo de beatificação, o Movimento, nos anos seguintes, ganhou o mundo.  No Brasil, chegou em 1950, por meio do casal Pedro Moncau e Nancy (de São Paulo), e em Jundiaí, a história do Movimento remete à década de 1962, trazido pelo casal João Paulo e Celina. Desta primeira equipe ainda participa uma integrante ativa (viúva) em Jundiaí.

Reconhecido pelo Vaticano em 2002, atualmente as ENS estão presentes nos cinco continentes, totalizando mais de 90 países, sendo o Brasil o país com o maior número de equipistas. 

 

 

A presença das ENS na Diocese

As equipes não são um Movimento de ação, propriamente dito, mas um movimento de gente ativa. Seus membros estão engajados em suas paróquias e pastorais. Dessa forma, na Diocese, as Equipes escrevem sua história contribuindo desde sempre para a expansão dos serviços pastorais. “Nos anos das décadas de 1960 e 1970, os casais equipistas foram responsáveis pela implantação da Pastoral Familiar Diocesana, dos Cursos de Noivos, do Cursilho de Cristandade, dos Encontros de Casais com Cristo (ECCs), dentre outros”, quem nos conta é Érica Costacurta, que junto com seu esposo Wilson é responsável pela Região SP Centro III das ENS, que cobre as cidades de Jundiaí a Bragança Paulista.

Formado por equipes com até sete casais, cada grupo é acompanhado por um conselheiro espiritual, originalmente e preferencialmente um sacerdote, mas devido a grande expansão do Movimento no Brasil, esta função também é exercida por diáconos, seminaristas e religiosas.

Atualmente na Diocese de Jundiaí mais de 460 casais participam do Movimento que conta ainda com 59 conselheiros, distribuídos em 84 equipes, por seis Setores em três cidades, Itu, Jundiaí e Louveira.

Confira: 

SETOR ITU Casal Responsável: Dioni e Gaudenci Conselheiro Espiritual: Frei Cido Período: 2018/2019/2020

 

 

 

O Setor Itu possui 18 equipes, totalizando 108 casais e 11 conselheiros, entre esses oito são padres e três três religiosos.

 

 

A cidade de Jundiaí está dividida quatro setores:

SETOR JUNDIAÍ A Casal Responsável: Edsonia e Ricardo Conselheiro Espiritual: Pe. Lupércio Martins.

 

 

Setor Jundiai A, com 11 equipes, 59 casais e oito conselheiros, sendo seis padres, um seminarista e um 1 religioso.

 

 

 

 

Casal Responsável: Silvia e Henrique Conselheiro Espiritual: Pe. Marcelo Alessandro. Período: 2020/2021/2022

 

Setor Jundiai B: 12 equipes, 63 casais, sete conselheiros, entre esses cinco padres, um diácono e uma religiosa.

 

 

 

 

SETOR JUNDIAÍ C Casal Responsável: Hilde e Cezar Conselheiro Espiritual: Pe.Milton Rogério Vicente. Período: 2018/2019/2020

 

 

 

Setor Jundiai C: 13 equipes, 73 casais, sete conselheiros, sendo cinco padres, um seminarista e um diácono.

 

 

 

SETOR JUNDIAÍ D Casal Responsável: Sonia e Fernando Conselheiro Espiritual: Pe. João Renan Bersan. Período: 2020/2021/2022

 

 

 

 

Setor Jundiai D: 11 equipes, 61 casais, 11 conselheiros: sete padres, três diáconos  e um seminarista.

 

 

 

SETOR LOUVEIRA Casal Responsável: Cidinha e Ademir Conselheiro Espiritual: Pe. André Monteiro Período: 2018/2019/2020

 

Em Louveira: O único setor presente na cidade conta com 19 equipes, 104 casais e 15 conselheiros, sendo 10 padres, dois seminaristas e três religiosas.

 

 

 

 

 

São João Paulo II enfatizou na Carta Apostólica Novo Millennio Ineunte ou seja, Novo Milênio (por ocasião da conclusão do Grande Jubileu do Ano 2000) que todo discípulo é missionário em virtude de seu batismo : “Esta paixão [de anunciar o Cristo e o Reino de Deus] não deixará de suscitar na Igreja uma nova missionariedade, que não poderá ser delegada a um grupo de “especialistas”, mas deverá corresponsabilizar todos os membros do povo de Deus. Quem verdadeiramente encontrou Cristo, não pode guardá-Lo para si; tem de O anunciar. É preciso um novo ímpeto apostólico, vivido como compromisso diário das comunidades e grupos cristãos.” (Carta Apostólica “No Início do Novo Milênio” nº 40). Nesse sentido, desde a criação, pela voz de seu fundador, o Padre Henri Caffarel, e por meio de seus diversos responsáveis, as Equipes de Nossa Senhora têm afirmado a importância da missão dos casais na família, na Igreja e no mundo.

Para os casais equipistas, sua missão acontece na família, no trabalho, nas suas comunidades, nos seus locais de lazer e toda vez que eles seguirem e colocarem em prática os ensinamentos e os valores do Evangelho por sua maneira de viver, estarão contribuindo para a qualidade de sua vida e sua felicidade e a dos membros de suas comunidades.  Cada um é testemunha viva de Deus e todos são chamados diariamente a imitar a vida de Cristo, que prometeu justiça, amor, paz, perdão e misericórdia

Isso, podemos conferir nos testemunhos de alguns casais diocesanos, que o leitor acompanha, a seguir.

“Em virtude do pacto de amor conjugal, o homem e a mulher ‘já não são dois,

mas uma só carne’ e são chamados a crescer continuamente nesta comunhão através da

fidelidade quotidiana à promessa matrimonial do recíproco dom total.” (Familiaris Consortio 19)

“Há 54 anos caminhamos nas Equipes de Nossa Senhora em Jundiaí. Viemos de São Carlos para morar nesta terra querida que nos acolheu e onde construímos nossa família com cinco filhos, treze netos, genros, noras e muitos amigos.

O convite para ingressar nas Equipes foi feito um ano após nosso casamento pelo casal Cidinha e Igar. Aceitamos com alegria pois era isso que desejávamos.  

Nas Equipes descobrimos a nossa vocação de casal cristão. Qual seria essa vocação? Nada mais do que o chamado de Jesus a todo cristão batizado: “vem e segue-me”. Só que em casal, a dois. E isso era novidade na época! Não se ouvia falar de casal dentro da Igreja. O Concílio Vaticano II, recém encerrado, seus documentos ainda precisavam ser refletidos e colocados em prática.  

As Equipes de Nossa Senhora, com sua estrutura, mística e metodologia, nos ensinaram a amar a Igreja, a perceber que Cristo está presente nas reuniões mensais onde “dois ou mais se reúnem em nome de Jesus Cristo” (Mt 18,20).  Em 1968, fomos ao Encontro Anual – EACRE, e lá conhecemos Dom Lucas Moreira Neves, recém chegado do Concílio, que falou sobre o documento Lumen Gentium. Voltamos animados para descobrir sobre o mistério da Igreja e a nossa missão, como casal e, em equipe, como pequena ecclesia. Naquele ano a nossa Equipe, inteira, começou a trabalhar na preparação de noivos para o casamento. Para nós dois foi um enorme passo para as próximas missões. Em 1982, já como Casal Responsável do setor Jundiaí, começamos a trabalhar na Pastoral Familiar Diocesana… e assim vieram tantas outras missões culminando com a ordenação Diaconal de Osmar em 1998 e inaugurando uma nova etapa de responsabilidade missionária para o casal.

Não podemos deixar de citar os serviços e Movimentos que participamos como: Cursilho de Cristandade, Encontro de Casais com Cristo (ECC), Neo Catecumenato. Todos eles nos ensinaram e contribuíram para nossa caminhada de fé.

Como retribuir a Deus todo o bem que Ele nos fez?  Como agradecer-lhe pelo gosto que Ele nos deu pela Escuta de sua Palavra? Como não reconhecer que as Equipes de Nossa Senhora são fonte de abastecimento e formação cristã?.

Por tudo isso queremos continuar a ser “buscadores de Deus” como gostava de repetir o Padre Henri Caffarel, fundador das Equipes de Nossa Senhora.

E terminamos como a Virgem Maria, no seu canto Magnificat: “O Poderoso fez em mim maravilhas e Santo é seu nome”.

Osmar Luiz Guedes e Ana Maria Guedes  – Equipe 1 – Setor B – Jundiaí

 

“Conhecemos o Movimento ainda quando morávamos em Umuarama (PR), e por lá as Equipes de Nossa Senhora estavam começando, tendo sido levada por um casal de Ribeirão Preto que havia se mudado para a cidade. Tudo era muito novo. Era a equipe número um  de lá!

Isso foi em 2003, quando tínhamos 7 anos de casados, 2 filhos e já éramos engajados em pastorais da Igreja. Começamos essa jornada com o incentivo de um Padre que já conhecia e estava encantado com a mística do movimento. Não demorou muito para nos envolvermos na história e no objetivo das Equipes. Começava, sem dúvidas, uma nova etapa da nossa vida, um novo jeito de olhar para o matrimônio, a importância do doar-se, do esforço diário para fazer o “outro” feliz!

Depois de 3 anos, nos mudamos para Jundiaí e chegando aqui procuramos entrar em contato com os responsáveis do Movimento por aqui, na época, Rosa e Luiz Carlos. Fomos muito bem acolhidos e de cara encontramos uma nova família! Tivemos altos e baixos, como é natural, mas o apoio do Movimento fez toda diferença para nós.

Nossos filhos se tornaram “filhos de equipistas”, naturalmente. A valorização da família como Ecclesia, a sintonia e a harmonia que sempre vivenciamos nas Equipes, nos fazia felizes demais.

Em 2015 assumimos a responsabilidade do Setor Jundiaí A; foi quando ficamos “mergulhados” na realidade dos demais casais, conhecemos muita gente, nos encantamos ainda mais!

Em 2018 assumimos a Região SP Centro III que vai de Jundiaí a Bragança Paulista.

Somos um casal verdadeiramente apaixonado pelo Movimento das Equipes de Nossa Senhora por ver, por meio dele, as maravilhas que o Senhor faz na vida dos casais e conselheiros que vivem essa experiência”.

Wilson e Érica – Casal Responsável da Região SP Centro III

“Nosso setor de Louveira completou 54 anos e há 44 anos somos fiéis a Ele. Com dois anos de casados já éramos equipistas, queríamos caminhar juntos em casal na Igreja. Foi uma decisão acertada! Nossa maior alegria hoje é ver nossos dois filhos equipistas.

Durante três anos como casal responsável de setor (CRS), vivenciamos muitos momentos de orações, de ajuda mútua, sentindo sempre Deus e Nossa Senhora a nossa frente. Ganhamos uma grande família de irmãos em Cristo, tornando, com ajuda deles, pessoas melhores e crescemos espiritualmente como casal. Nosso coração é AZUL, com satisfação e FÉ, sentindo sempre o agir do Espírito Santo em nossas vidas, por meio da nossa missão de equipista no Movimento e na Igreja.

Gratidão Eterna!”.

 Ademir e Cidinha – CRS Louveira

 Nossa vida e o Movimentos das ENS 

Equipes de Nossa Senhora… uma bênção de Deus para casais e Conselheiros Espirituais!  Muito tínhamos ouvido falar sobre o MENS, mas somente há 25 anos pudemos começar a desfrutar da seiva do mesmo.

Nosso ingresso no Movimento ocorreu em 11 de novembro de 1994… um marco importante na nossa espiritualidade e conjugalidade. Nossa equipe começou com sete casais, sob a proteção de Nossa Senhora Aparecida e a direção espiritual do Frei Lino de Oliveira. Nossa família também foi muito agraciada… através das ENS, nossos filhos catalisaram os valores da fé cristã e do Sacramento do Matrimônio.

As ENS foram também uma escola de formação cristã e aperfeiçoamento da nossa vida conjugal. Elas são muito ricas em ajuda mútua, troca de experiências e vida de oração.

A mística do nosso Movimento dá sentido a uma proposta de vida que nos leva a uma procura constante da comunhão com Deus. É o sentido oculto que nos orienta e nos sustenta através dos pontos concretos de esforço. Os Pontos Concretos de Esforço (PCEs) são os sustentáculos que nos levam a vivenciar o carisma do Movimento; a espiritualidade conjugal. A Escuta diária da Palavra e a Meditação nos ajudam a discernir a vontade de Deus para nós, possibilitando a nossa sintonia com Ele.

Tivemos várias oportunidades de crescimento pessoal e conjugal quando nos colocamos a serviço, pois o nosso Movimento se esmera pela formação e capacitação dos que são escolhidos para as diferentes missões e responsabilidades. Hoje, no nosso último ano da missão como CRS, podemos afirmar que o Senhor fez em nós muitas maravilhas!

Agradecemos a Deus pela oportunidade que nos tem dado de conviver com casais e Conselheiros Espirituais do nosso Setor, Região e Província, cujas marcas deixadas em nossas vidas são muito profundas e significativas. Nossa gratidão também ao Pe. Henri Caffarel, fundador do nosso Movimento, e ao casal Dona Nancy e Dr. Pedro Moncau, que o trouxe para o Brasil”.

Luiz Antonio Gaudenci e Dioni – CRS – Itu

Vivenciando sua conjugalidade sacramental, esses e tantos outros casais dão um testemunho público de amor, de comunidade e de um engajamento. Que esses exemplos sirvam para encorajar e desafiar também outros casais a buscar e a seguir Cristo nas alegrias e nas tristezas da vida.

Colaboração: Érica Costacurta

Memórias

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Rolar para cima