3 de dezembro de 2020

Jundiaí /SP

Leigos e Liturgia – Ministérios leigos

“O Concílio Vaticano II fez dar valor aos ministérios e valorizou a atuação do leigo na Igreja, também ao ministro extraordinário da Sagrada Comunhão. Popularmente é chamado de ministro da Eucaristia, o que não é uma linguagem correta. O ministro da Eucaristia é unicamente o bispo e sacerdote que administra a Santa Eucaristia.”

Texto retirado de: Jackson Erpen – Vatican News (https://www.vaticannews.va/pt/vaticano/news/2020-10/leigos-liturgia-ministerios-leigos-padre-gerson-schmidt.html)


No nosso espaço Memória Histórica – 50 anos do Concílio Vaticano II, vamos falar no programa de hoje sobre “Leigos e Liturgia – Ministérios leigos”.

Damos sequência neste nosso espaço aos programas dedicados à Liturgia e Sacramentos, onde padre Gerson Schmidt* nos fala hoje sobre leigos e Liturgia. Digno de nota, que o Parágrafo 4 do Artigo 9 do capítulo terceiro do Catecismo da Igreja Católica, fala sobre “Os fiéis de Cristo: hierarquia, leigos, vida consagrada”. E introduzimos a reflexão do sacerdote incardinado na Arquidiocese de Porto Alegre com o número 871: «Fiéis são aqueles que, por terem sido incorporados em Cristo pelo Batismo, foram constituídos em povo de Deus e por este motivo se tornaram, a seu modo, participantes do múnus sacerdotal, profético e real de Cristo e, segundo a própria condição, são chamados a exercer a missão que Deus confiou à Igreja para esta realizar no mundo»:

“A Sacrosanctum Concilium já apontava a ampliação da atuação dos leigos em alguns sacramentais e ministérios: “Providencie-se de modo que alguns sacramentais, pelo menos em circunstâncias especiais e a juízo do Ordinário, possam ser administrados por leigos dotados das qualidades requeridas” (SC, 79).

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima