24 de fevereiro de 2024

Jundiaí /SP

Lançamento do texto base da Campanha da Fraternidade 23 na Diocese de Jundiaí

Na noite de 3 de fevereiro aconteceu no anfiteatro Pio XII da Cúria Diocesana de Jundiaí, o lançamento do texto base da Campanha da Fraternidade 2023. O evento contou com a presença de autoridades civis, representantes de pastorais, movimentos e paróquias, seminaristas diocesanos, religiosas e demais representantes das organizações da sociedade civil. O tema deste ano é Fraternidade e Fome e o lema “dai-lhes vós mesmos de comer” (Mt 14, 16).

A mesa foi composta por Padre Paulo Eduardo Ferreira de Souza, representando o clero diocesano, Diácono Moacir Rodrigo Francisco de Paula, representando os diáconos, Irmã Maria Nilva de Souza, da Congregação das Irmãs Franciscanas da Penitência, representando as religiosas, Gedivania Pereira da Silva, coordenadora diocesana da Campanha da Fraternidade, Dolaine Coimbra Santos, do Fórum das Pastorais Sociais Diocesanas de Jundiaí, Dom Arnaldo Carvalheiro Neto, Bispo Diocesano e a nutricionista Cristiane Santos, especialista em Segurança Alimentar.

Cristiane compartilhou seu conhecimento e experiência na atuação de consultoria de políticas públicas. Ela apresentou o contexto científico da fome, destacando que “a fome é ausência de nutrientes”. No contexto social global falou do que causa a fome no mundo como a desigualdade social, a pobreza, os conflitos e guerras, crises econômicas, etc.

Sobre insegurança alimentar ela pontuou alguns aspectos como agrotóxicos, falta de acesso ao alimento, preços abusivos, qualidade duvidosa dos alimentos prejudicando a saúde, escassez de água, entre outros.  Tudo isso afeta especialmente a população mais vulnerável. A nutricionista apresentou um histórico da distribuição de alimentos e o Poder Público, e destacou o trabalho feito a partir da Igreja para olhar para a questão da fome, como por exemplo, o trabalho feito pela médica Zilda Arns com a fundação da Pastoral da Criança.

Por fim, destacou que atualmente há 33 milhões de pessoas passando fome no Brasil conforme 2º Inquérito Nacional do INSAN – Inquérito Nacional sobre Segurança Alimentar e Nutricional – realizado em 2022.

Em sua fala, Dom Arnaldo exortou: “A Campanha da Fraternidade exige de nós atitude. O convite da Campanha é olharmos primeiro pra nós mesmos. A questão do Poder Público é importante porque a fome não se resolve individualmente, mas a coisa acontece quando a gente promove a cultura do encontro, do diálogo, como diz o Papa Francisco” e convidou: “Apostem na campanha. A Igreja tem esse ‘poder’ de motivar as pessoas. mas a campanha é, sobretudo, essa proposta de conversão de cada um”.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima