17 de outubro de 2021

Jundiaí /SP

Já conhece a Revista de Liturgia?

Com a Carta Apostólica Spiritus Domini, do papa Francisco, reacende-se nas comunidades o desejo de estudar sobre o caráter ministerial da Igreja, expresso em sua liturgia, e de avançar na prática dos ministérios leigos. Além da atuação masculina, o documento legitima, com Rito de Instituição, também os ministérios femininos de leitora e de acólita, mudança que vai garantir maior diversidade ministerial para responder a necessidades vitais e urgentes das celebrações.
O ministério litúrgico visa contribuir com a participação ativa, consciente e frutuosa do povo de Deus na celebração do mistério pascal de Cristo. Também as funções exercidas por leigos ou por leigas devem alcançar esse fim, seja no serviço da Palavra e do altar, seja em novos ministérios, como o da presidência da celebração dominical da Palavra, o das exéquias, o do ofício divino, os ligados aos ritos catecumenais, entre outros, todos tão necessários em nossa Igreja.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Rolar para cima