Grito dos Excluídos: Basta de Privilégios

No último dia 7 de setembro, Dia da Independência do Brasil, aconteceu na cidade de Jundiaí, a 8ª edição do Grito dos Excluídos. O evento começou com a celebração eucarística presidida por Dom Vicente Costa, Bispo Diocesano, na Catedral Nossa Senhora do Desterro e concelebrada pelos padres: Milton Rogério Vicente, pároco da Catedral, Joaquim de Souza Filho, presidente da Cáritas Diocesana de Jundiaí, Joaquim Gonçalves da Cruz, Reitor do Seminário Propedêutico Sagrada Família, Alberto Simionato, Reitor do Seminário Filosófico Dom Joaquim Justino Carreira, Átila Destéfani, João Batista Carvalho e Márcio Odair Ramos.

Também participaram diáconos, seminaristas, religiosas de várias congregações, agentes pastorais sociais, organizações da sociedade civil e lideranças de comunidades de toda a Diocese de Jundiaí.

A celebração foi marcada por sinais que ajudam a compreender a importância de olhar para todos, sem exclusão, refletindo o tema desta edição do Grito “Desigualdade gera violência: basta de privilégios”. Cada momento da celebração foi preparado pelo Fórum das Pastorais Sociais: os animadores da Pastoral da Criança, a oração de misericórdia feita pelos  adolescentes da Pastoral do Menor, a entrega da semente simbolizando a importância do cuidado pela Vida desde sua concepção, vida plena e com dignidade entregue pelas mãos das agentes da Pastoral da Saúde e da Pessoa Idosa, a entrada solene da Bíblia nas mãos de migrantes Haitianos,  a primeira leitura realizada pela agente da Pastoral da Pessoa com Deficiência, oração da comunidade e equipe de canto da Pastoral da Sobriedade, ofertório pela Campanha da Fraternidade e a organização das manifestações do Grito na Praça pela Pastoral Fé e Política.

Dom Vicente dirigiu uma palavra de encorajamento aos agentes de pastorais, às pessoas que defendem a vida daqueles que estão na exclusão e das organizações da sociedade civil que atuam junto aos mais excluídos, refletindo sobre a palavra proclamada, a importância de serem construídas novas estruturas. Falou sobre o momento em que a sociedade está vivendo, da violência e exclusão, de políticos para que sejam articuladores do bem comum e finalizou trazendo a mensagem da CNBB para o Grito dos Excluídos.

Ao final da celebração, todos foram convidados para apresentarem na Praça da Catedral o Grito Pela Vida, pela não exclusão, um basta pelas desigualdades.  Foram vários os agentes que se manifestaram, trazendo preocupações de exclusão por falta de políticas públicas, violência e desigualdade.

Colaboração e fotos: Maria Rosângela Moretti

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *