11 de abril de 2021

Jundiaí /SP

Grandes Mistérios!

“Há um momento oportuno para cada coisa” (Ecl 3,1).

 

A cada dia da nossa história nos deparamos com grandes mistérios, que nos causam perplexidade e questionamento. Os mistérios nos surpreendem e, às vezes, chegam a nos impor um grande e eloquente silêncio diante de sua magnitude. Assim, quero fazer uma breve reflexão sobre três grandes e verdadeiros mistérios.

O primeiro deles é o mistério da vida. Nossa vida é, sem dúvida, um grande mistério, desde a nossa concepção, passando por cada milésimo de segundo da nossa caminhada nesta terra. Os muitos encontros e desencontros, lágrimas e sorrisos, perdas e vitórias, chegadas e partidas, e tantas outras coisas. O exato momento em que a gente nasce, a família que nos acolhe, as pessoas com as quais convivemos e compartilhamos as lutas e as conquistas. Às vezes por questão de segundos tudo dá certo, ou quase tudo dá errado. Quantos de nós já não passamos por situações inusitadas por termos feito este ou aquele percurso? Talvez, se tivéssemos passado por outro caminho, as coisas teriam sido muito diferentes. Se eu não tivesse encontrado essa ou aquela pessoa, neste ou naquele lugar, talvez nem estivesse aqui neste momento! Histórias e mais histórias que vão mostrando e contando como a nossa vida é um grande e insondável mistério.

O segundo é o mistério da morte. Tanto quanto a vida, a morte sempre foi e sempre será um mistério que nos deixa profundamente reflexivos e intrigados. Quando alguém muito próximo de nós morre, este fato muitas vezes muda totalmente a nossa vida, de maneira que nunca mais conseguimos, talvez, ser os mesmos. Mudamos, porque a morte muda a nossa vida, tira de nosso convívio pessoas que nos ajudaram a ser como somos. E como é misterioso e difícil não ver mais quem a gente ama. Como é desafiador querer dar mais um beijo, mais um abraço, mais um aperto de mão, e não ter mais a pessoa por perto. A morte é um mistério tão assombroso, que muitos choram quando ela nos visita. Até Jesus chorou a morte de seu amigo, Lázaro. Diz o Evangelho que “Jesus comoveu-se profundamente no espírito e ficou conturbado” (Jo 11,35). Sendo assim, facilmente nos convencemos de quanto a morte é um mistério.

E por fim, há outro mistério que vem em nosso auxílio para nos ajudar a viver bem o tempo de vida que tivermos nesta terra, e a lidarmos da melhor maneira possível com o mistério da vida e da morte, cada vez que formos colocados diante dele. Ou seja, para vivermos bem o mistério da vida e enfrentarmos com coragem o mistério da morte, precisamos imprescindivelmente de outro mistério, que é o mistério da fé. A fé nos faz ver e crer que a vida é sempre um milagre e uma bênção, um verdadeiro presente de Deus. A fé abre nossos olhos e nosso coração para vermos a morte não como um ponto final da existência humana, mas como uma passagem da vida efêmera para a vida eterna. É a fé que nos dá a certeza de que a vida triunfa sobre a morte! Por isso, em cada dia, como seria bom cuidarmos da nossa fé e a alimentarmos com muita esperança, otimismo, alegria e confiança. É com uma fé confiante e inabalável que podemos viver e celebrar a vida e a morte, proclamando e testemunhando o mistério da fé!

 

Publicado no Jornal de Jundiaí em 17.05.2020.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima