15 de junho de 2024

Jundiaí /SP

Pesquisar

Faleceu a Irmã Anna

O Instituto das Irmãs de São Vicente de Paulo “Servas dos Pobres” de Gijzegem comunica o falecimento da Anna de Lima Rodrigues, aos 86 anos, neste dia 13 de junho.

 

Breve histórico

Irmã Anna de Lima Rodrigues nasceu em Mogi das Cruzes (SP), em 20 de setembro de 1936.  Era filha de Benedicto Pinto Rodrigues e Mafalda Maria de Lima.

Tinha 18 anos quando entrou para a Vida Religiosa Consagrada, no Instituto das Irmãs de São Vicente de Paulo “Servas dos Pobres” de Gijzegem.

Iniciou sua Vida religiosa na casa de formação em Pindamonhangaba (SP).

Em 1956 pronunciou os primeiros votos, e em 1960 professou os votos perpétuos.

Exerceu com muita dedicação, zelo e compromisso os trabalhos a ela confiados. Passou por diversas comunidades, sendo a grande maioria no Estado de São Paulo, em Mato Grosso do Sul, especificamente em Bela Vista onde residiu por quatro anos. Seus principais apostolados foram: Na educação, lecionando no antigo curso primário, catequese, infância missionária, Lares de Idosos, Apostolado da Oração, Equipe de Nossa Senhora, Legião de Maria e Pastoral Vocacional.

No seu dia a dia viveu com simplicidade, muito generosa, de presença discreta e amorosa, como poetisa escreveu vários poemas e acrósticos. Lançou uma coletânea intitulada: “Poesia da Simplicidade” com 21 poemas, quando residia em Pindamonhangaba, onde participou de vários concursos de poesias.

Em 2017 enviou um acróstico ao Papa Francisco, e com muita alegria recebeu resposta via Secretaria do Estado do Vaticano.

Neila Cardoso, membro da Academia de Letras de Pindamonhangaba, disse a seu respeito: “Seus poemas são um convite à contemplação. Com palavras simples e sabias, ela nos recorda o quanto a vida ainda é bela! Em seus versos, a beleza ganha corpo e pulsa envolvendo nossos sentimentos em preciosas reflexões.”

Desde 2013 residia na Comunidade do Lar Nossa Senhora das Graças, em Jundiaí, d e onde partiu para a glória do Pai, aos 86 anos.

Agradecemos à Deus pelo dom da vida da Ir. Anna, que certamente passou fazendo o bem por todos os lugares em que esteve

Rolar para cima
Rolar para cima