30 de maio de 2024

Jundiaí /SP

Pesquisar

Encontro Diocesano de Secretários

Em 3 de outubro, aconteceu na Cúria de Jundiaí, o Encontro Diocesano de Secretários e Secretárias que reuniu 140 pessoas, aproximadamente, entre os colaboradores das paróquias das 11 regiões pastorais da Diocese de Jundiaí, assim como os colaboradores da Cúria Diocesana.

Conforme destacou Padre Lupércio Martins, Assessor da Pastoral dos Funcionários da Diocese de Jundiaí e Chanceler do Bispado, o encontro teve três objetivos: “acolher, formar e confraternizar”. A confraternização acontece especialmente para comemorar o Dia dos Secretários celebrado em 30 de setembro.

Promovido pela Pastoral dos Funcionários e coordenação da Ação Evangelizadora da Diocese de Jundiaí, o evento deste ano retoma os encontros anuais de secretários que não aconteciam há dois anos por conta da pandemia de Covid-19.

“A secretaria é a porta de entrada da evangelização em uma paróquia”, disse Padre Leandro Megeto, coordenador da Ação Evangelizadora. Ele destacou a parábola do Bom Samaritano destacando que os secretários são estes que “veem, sentem compaixão e se aproximam, assim como Jesus é o Bom Samaritano que nos olha, se aproxima de nós e, sem julgamentos, limpa as nossas feridas, nos levando para a hospedaria que é a comunidade cristã”.

Padre Carlos José Virillo, ecônomo da Cúria Diocesana, também esteve presente para falar sobre as dimensões administrativas paroquiais e diocesana.

O trabalho exercido como um dom

O Bispo Diocesano, Dom Arnaldo Carvalheiro Neto, refletiu junto aos presentes sobre o Evangelho de Marta e Maria: “A vida de todos nós, nesse mundo maluco, cheio de coisas pra fazer, está muito mais para Marta, que não estava fazendo nada de errado. O problema não está no que ela estava fazendo, mas como ela estava fazendo. Na forma como ela se queixa com Jesus. Ela não estava totalmente presente naquilo que ela estava fazendo, com amor naquela tarefa. O coração dela estava dividido”. Neste sentido, o Bispo Diocesano exortou os colaboradores a não ter o coração dividido, ou seja, estar trabalhando e murmurar.

Para isso é importante cuidar da espiritualidade do coração para saber como lidar, com amor e sabedoria, com o mundo ao redor. Como verificar se você está percorrendo esse caminho? Dom Arnaldo deu alguns caminhos: “Verificar se você gosta do trabalho; Você tem esse senso de gratidão? Murmurar é falta de gratidão; Procure empenhar-se para que você possa desempenhar o seu trabalho da melhor forma, sempre aberto a aprender; Ter a convicção de que quando eu faço o que eu gosto e me aprimoro, todos ganham. Como diz São Paulo nas suas cartas: se um membro do corpo está bem, todo o corpo ganha”.

 

Rolar para cima
Rolar para cima