24 de fevereiro de 2024

Jundiaí /SP

Dom Arnaldo reúne-se com agentes de Pastoral Fé e Política e Conselho de Leigos

Desde sua posse como 6º Bispo Diocesano de Jundiaí, Dom Arnaldo tem dedicado os dias de seu governo a conhecer os diversos organismos de nossa Igreja Particular de Jundiaí, percorrer o território diocesano, entre inúmeras outras atividades administrativas e pastorais.

Desse modo, na última sexta-feira, dia 14 de abril, o encontro foi entre o Bispo e a equipe de coordenação da Pastoral Diocesana Fé e Política e Conselho de Leigos.

Na pauta da reunião, a apresentação e breve avaliação da atuação de ambos organismos na vida diocesana.

Dom Arnaldo gostou muito de tudo o que ouviu e incentivou a continuidade das ações encaminhadas até os dias atuais. Perguntado pelo Pe. Norberto Savietto, assessor diocesano da Pastoral Fé e Política, sobre qual orientação ele daria para a caminhada da Pastoral Fé e Política, o Bispo respondeu: “Estar aberto a todos, ou seja, a pastoral é suprapartidária, ela é um espaço da Igreja onde refletimos e nos empoderamos da Política com “P”, ou seja, aquela que é promotora do Bem Comum. Por isso fundamental que os membros da Pastoral tenham formação na dimensão da Doutrina Social da Igreja, pois ela é o princípio das Pastorais Sociais e da nossa forma de compreender a Política, independentemente das opções partidárias. Devemos sempre ser promotores do diálogo com todos os seguimentos, saber ouvir e expor nossas opiniões sem dar espaço a agressividade. Promover espaços de Estudos. E aqui apresentamos a importância do Núcleo Diocesano de Formação de Fé, Política e Cidadania”.

Dom Arnaldo falou ainda da importância de que cada agente da Pastoral, cada pessoa tenha compaixão para com aqueles que mesmo caminhando nas comunidades não compreendem o fundamental no seguimento de Jesus. “Precisamos reconhecer os sinais dos tempos, a mudança de época em que vivemos. Ter cuidado com nossas ações que estejam na unidade com a Igreja. Sair do mundo das ideias e irmos para a realidade”. E completou: “Os agentes da Pastoral Fé e Política precisam ter ousadia em suas ações e cuidado com os pensamentos e as práticas”.

Na ocasião, ficaram definidas também as datas de 5 de junho e 6 de novembro para encontros entre o Bispo e políticos das 11 cidades que compõem o território diocesano, mantendo a tradição da Igreja de Jundiaí. Também foram definidas as temáticas a serem abordadas nesses encontros:

No primeiro encontro, em junho, a temática tratada será sobre o Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA). Para este evento também serão convidados os presidentes dos Conselhos Municipais instituídos. Um representante da coordenação estadual da Campanha da Fraternidade será o convidado e deve falar sobre o CONSEA e o agir da Campanha da Fraternidade 2023.

Os participantes terão oportunidade de partilharem suas experiências, além de indagação dos projetos e prazos para instituição dos conselhos nos municípios.

O segundo encontro, marcado para o mês de novembro, será momento de fala e partilha dos representantes dos municípios. Eles terão a oportunidade de apresentar a realidade dos Conselhos e suas ações nas cidades.

Fé e Política

A equipe de coordenação informou ainda ao Bispo que, atendendo ao apelo da CF 2023, a Diocese criou, no mês de fevereiro, um Grupo de trabalho (GT) que reúne membros da Cáritas Diocesana e da Faculdade de Medicina de Jundiaí para atividades conjuntas.

Do encontro com o Bispo nesta sexta-feira, também participaram, o professor Donizete Scardelai, coordenador diocesano da Pastoral  Fé e Política, Dolaine Regina C. Santos – membro do organismo, e  Maria Angela Palma Ribeiro, coordenadora diocesana do Conselho Diocesano de Leigos.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima