21 de outubro de 2021

Jundiaí /SP

Diocese de Jundiaí se organiza para o cumprimento da LGPD

Desde o mês de fevereiro a Mitra Diocesana de Jundiaí está comprometida com a adequação aos requisitos da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

A empresa desenvolveu um plano de ação com diversas atividades: Treinamentos, Mapeamento do Fluxo dos Dados, novos procedimentos para Segurança da informação, dentre outros. Por meio de vídeo conferência foram realizadas palestras e treinamentos envolvendo os membros do clero, colaboradores da Cúria Diocesana, das Paróquias e Organismos Diocesanos. Esses treinamentos têm como objetivo fundamental o conhecimento sobre os requisitos da LGPD e a conscientização da importância de ações que garantam a proteção dos dados pessoais de todos aqueles que buscam a Igreja.

Em breve a Mitra Diocesana divulgará a sua Política de Proteção de Dados para que toda a comunidade saiba como a empresa realiza o tratamento dos dados pessoais e também, apresentará o seu Encarregado dos Dados.

Diante de mudanças tão significativas na relação e cuidado com os dados, a Diocese de Jundiaí não tem medido esforços para orientar e preparar não só seus colaboradores, mas os membros da Igreja em geral para o cumprimento da Lei.

Nesse sentido e atendendo ao pedido do Bispo Diocesano, Dom Vicente Costa, desde o início do ano a empresa conta a assessoria do dr. Willian Munarolo, assessor jurídico da Diocese, e de Patrícia Dias, consultora em sistema de gestão.

Semanalmente, desde o mês de maio, a Mitra Diocesana vem promovendo encontros por vídeo conferência com os colaboradores das Paróquias e Organismos Diocesanos para orientação de boas práticas para a segurança da informação e para o mapeamento do fluxo de dados nas diversas pastorais e  setores administrativos.

De acordo com o ecônomo da Diocese, Padre Carlos José Virillo, ao participar do encontro para ecônomos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil ( CNBB) sobre a LGPD, foi ressaltado que: “Os encontros são importantes para reforçar a necessidade de adequação e principalmente conscientização da urgência de uma mudança cultural no tratamento de dados realizado no contexto da Igreja” e como bem lembrou Dom Joel Portela, secretário geral da CNBB, “Proteger os dados dos nossos fiéis é promover a dignidade da pessoa humana, que é a missão fundamental da Igreja”. Dessa forma podemos entender e acolher a LGPD nas Paróquias e Organismos como instrumento de promoção de um dos valores fundamentais da pessoa.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Rolar para cima