Crer em Jesus e segui-lo é também algo bonito

Confira, a seguir, os principais trechos do discurso do Papa Francisco aos membros do movimento “diaconia da beleza”, formada por músicos, poetas, cantores, pintores, arquitetos, cineastas, escultores, atores e bailarinos que buscam viver de modo comunitário sua busca pela Verdade e paixão pela arte.

Prezados amigos!

Na Carta aos artistas, o Papa João Paulo II escreveu: “O artista vive numa relação peculiar com a beleza. Pode-se dizer, com profunda verdade, que a beleza é a vocação a que o Criador o chamou com o dom do “talento artístico”. E também este é, certamente, um talento que, na lógica da parábola evangélica dos talentos (cf. Mt 25, 14-30), se deve pôr a render” (4 de abril de 1999, n. 3). Tal convicção ilumina a visão e a dinâmica próprias da “Diaconia da Beleza”, que lançou raízes exatamente aqui, em Roma, na época do Sínodo sobre a nova evangelização, em outubro de 2012. Juntamente convosco, dou graças ao Senhor pelo caminho percorrido e pela variedade dos vossos talentos, que Ele vos chama a desenvolver ao serviço do próximo e da humanidade inteira.

Os dons que recebestes são para cada um de vós uma responsabilidade e uma missão. Com efeito, exige-se que trabalheis sem vos deixar dominar pela busca da vanglória nem por uma fácil popularidade, e ainda menos pelo cálculo muitas vezes mesquinho do lucro apenas pessoal. Num mundo onde a técnica é com frequência entendida como o principal recurso para interpretar a existência (cf. Laudato si’, 110), com os vossos talentos e haurindo das fontes da espiritualidade cristã, sois chamados a propor “uma forma alternativa de entender a qualidade de vida, encorajando um estilo de vida profético e contemplativo, capaz de gerar profunda alegria sem estar obcecado pelo consumo” (ibid., 222), e a servir a criação e a salvaguarda de “oásis de beleza” nas nossas cidades muitas vezes cimentadas e desalmadas. Sois chamados a conhecer a gratuitidade da beleza.

Portanto, convido-vos a desenvolver os vossos talentos a fim de contribuir para uma conversão ecológica que reconheça a dignidade eminente de cada pessoa, o seu valor peculiar, a sua criatividade e a sua capacidade de promover o bem comum. A vossa busca da beleza naquilo que criais seja animada pelo desejo de servir a beleza da qualidade de vida das pessoas, da sua harmonia com o meio ambiente, do encontro e da ajuda recíproca (cf. ibid., 150). Portanto, encorajo-vos nesta “Diaconia da Beleza”, a promover uma cultura do encontro, a construir pontes entre as pessoas e entre os povos, num mundo em que ainda se erguem muitos muros por medo dos outros. Esforçai-vos por testemunhar também, na expressão da vossa arte, que acreditar em Jesus Cristo e segui-lo “não é algo apenas verdadeiro e justo, mas também belo, capaz de cumular a vida de um novo esplendor e de uma alegria profunda, mesmo no meio das provações” (Evangelii gaudium, 167). A Igreja conta convosco para tornar perceptível a beleza inefável do amor de Deus e permitir que cada um descubra a beleza de ser amado por Deus, de ser colmado pelo seu amor, para viver dele e dar seu testemunho na atenção ao próximo, de modo especial aos excluídos, feridos e rejeitados nas nossas sociedades. Confio-vos ao Senhor, por intercessão do Beato Frei Angélico, e concedo a Bênção apostólica a vós e a todos os membros da “Diaconia da Beleza”. Obrigado!

Papa Francisco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *