11 de abril de 2021

Jundiaí /SP

Celebrações da Semana Santa 

Foram dias especiais de celebrações em nossa Igreja doméstica.

Em tempos sem restrições à aglomerações, a Semana Santa na Diocese de Jundiaí movimentaria a vida nas paróquias e comunidades. Mas, pelo segundo ano consecutivo, nas Igrejas, os bancos ficaram vazios e nenhum fiel.

O fato de vivermos a pandemia não foi impecilho para  que os católicos diocesanos deixassem de celebrar a Semana Santa. Esse importante momento de fé foi vivido por meio de transmissões feitas pelas redes sociais. Todos ficaram em suas casas e participaram como foi possível; via celular, TV ou tablet. As Igrejas ficaram abertas, mas apenas para manifestações individuais de fé.

De todo modo, os templos foram preparados cuidadosamente para cada celebração, por pequenas equipes, seguindo todos os protocolos sanitários.

 A Semana Santa 2021 ou Semana Maior, começou em 28 de março, com a celebração do Domingo de Ramos. Nesse dia, a Igreja Católica relembrou a entrada de Jesus Cristo em Jerusalém após o período no deserto.

Cada uma das 66 Paróquias e comunidades teve sua respectiva programação, algumas com procissões e outras somente com bênção dos ramos. Para essa celebração, a igreja paramentou-se da cor vermelha, recordando o martírio de Jesus Cristo e, no lugar das flores, utilizou ramos de oliveira ou palmas.

Em várias paróquias, ao final da celebração, o padre ou diácono percorreu de carro o território paroquial abençoando os ramos; exemplo do Padre Marcelo Alessandro de Lima, da Paróquia São Sebastião, em Cajamar, onde os fiéis aguardaram em frente aos portões e janelas de suas casas, onde foram abençoados. Em outras comunidades, que não conseguiram fazer suas procissões, os fiéis puderam retirar os ramos nas igrejas; foi o caso dos paroquianos da Paróquia Nossa Senhora do Desterro (Catedral), em Jundiaí. Enquanto isso, os seminaristas e os padres formadores do Seminário Diocesano Nossa Senhora do Desterro promoveram a procissão dentro das dependências daquela casa de formação.

Neste ano, na Quarta-feira Santa, dia 31 de março, a tradicional Missa do Crisma ou dos Santos Óleos  não aconteceu e terá a data remarcada, conforme orientação do nosso Bispo, Dom Vicente Costa.

 

Fiéis celebram  o Tríduo Pascal na Esperança da Ressurreição De Jesus Cristo

Na Quinta-feira Santa, dia 1 de abril, teve início o Tríduo Pascal. A celebração relembrou a Última Ceia de Jesus com os seus apóstolos, quando Ele instituiu a Eucaristia e o sacerdócio ministerial. Tradicionalmente marcada pelo ritual litúrgico do Lava-Pés, gesto feito por Jesus com os Seus discípulos para demonstrar Seu amor por cada um e mostrar a todos a humildade e o serviço, neste ano a celebração sofreu modificações. As orientações da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos, órgão do Vaticano responsável pelas diretrizes das celebrações, foram para que o ritual fosse suspenso nos templos católicos de todo o mundo para evitar o contato físico entre os fiéis. Essa orientação foi seguida pelo nosso Bispo Diocesano, conforme comunicado oficial enviado aos padres e divulgado nas redes sociais da Diocese, no dia 26 de março. A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) também emitiu um documento com orientações para todas as dioceses e paróquias, no contexto de pandemia.

Na tarde da Sexta-feira Santa, dia 2, dia da Paixão de Nosso Senhor, pontualmente às 15h, a hora da Misericórdia, as celebrações apresentaram o drama da morte de Cristo no Calvário. A liturgia neste dia é diferente, pois não há consagração eucarística. Nesse dia, ocorreu a veneração da Santa Cruz, momento em que esta foi apresentada solenemente. A cruz, erguida sobre o mundo, segue de pé como sinal de salvação e esperança. Nas paróquias e comunidades, após a adoração da Cruz, também foi realizada a meditação das 14 estações da Via-Crúcis, o Sermão das Sete Palavras de Jesus na Cruz, fazendo uma reflexão que chamou os fiéis à conversão e à penitência, e a cerimônia do Descendimento da Cruz.

Durante o Sábado Santo, dia 3, a Igreja permaneceu em meditação sobre a Paixão e Morte de Jesus Cristo, Sua descida à mansão dos mortos, aguardando em oração e em jejum, Sua Ressurreição. As celebrações da Vigília aconteceram após o pôr do Sol do Sábado Santo. Nela foi abençoado o fogo novo, proclamada a Páscoa e os fiéis renovaram suas promessas de Batismo. Com o fogo novo o Círio Pascal foi aceso, representando a vida nova em Jesus Cristo. Trata-se de uma Vigília em honra do Senhor.

Especialmente para a Vigília Pascal e Santa Missa de Páscoa, as Igrejas receberam flores e foram enfeitadas com zelo e carinho. Tudo bonito para a grande festa da Páscoa.

Ainda no Sábado Santo, uma notícia trouxe alegria e esperança para participação presencial nas celebrações da Santa Missa de Páscoa do Nosso Senhor Jesus Cristo. O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Kassio Nunes Marques autorizou a liberação de cultos e missas por todo o país. A decisão foi publicada no sistema do Tribunal ainda no sábado, dia 3. Para o ministro Nunes Marques, as determinações por decretos que buscavam restringir a quantidade de pessoas nos cultos, com vistas a reduzir o contágio do coronavírus, ferem o “direito fundamental à liberdade religiosa”.

Atento a essa mudança de protocolo, Dom Vicente Costa, Bispo Diocesano, autorizou a liberação para a participação dos fiéis para a Missa do Domingo de Páscoa, desde que mantidos os 40% do total da capacidade das Igrejas.

No Domingo da Ressurreição, dia 4 de abril, o dia santo mais importante para os católicos. Os fiéis celebraram a ressurreição de Jesus Cristo.  Algumas paróquias se apressaram em organizar tudo e receberam membros de suas comunidades, exemplo da Catedral Nossa Senhora do Desterro, do Santuário Diocesano Nossa Senhora Aparecida, ambos em Jundiaí, da Paróquia Nossa Senhora Mãe dos Homens e Santo Antônio de Pádua, em Louveira, e da Paróquia Cristo Redentor, em Várzea Paulista, que recebeu os fiéis na Arca da Aliança Mãe da Divina Providência.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima