21 de fevereiro de 2024

Jundiaí /SP

Celebrações da Segunda-feira Santa

A segunda-feira Santa é dia de proclamar o Evangelho segundo São João. Seis dias antes da Páscoa, Jesus chega a Betânia para fazer a última visita aos amigos de toda a vida. Está cada vez mais próximo o desenlace da crise. “Ela guardava este perfume para a minha sepultura” (cf. João 12,7); Jesus já havia anunciado que Sua hora havia chegado.

A primeira leitura é a do servo sofredor: “Olha o meu servo, sobre quem pus o meu Espírito”, disse Deus por meio de Isaías. A Igreja vê um paralelismo total entre o servo de Javé cantado pelo profeta Isaías e Cristo.

O Senhor é minha luz e minha salvação, a quem temerei? (Sl 26(27),1a)

Catedral Nossa Senhora do Desterro  – Jundiaí

Via-Sacra

 

Paróquia Nossa Senhora da Alegria – Cajamar

Procissão do Senhor dos Passos
Procissão de Nossa Senhora das Dores
Procissão do Encontro

Sermão das Sete Palavras

Paróquia Nossa Senhora de Montenegro

Sermão das Sete Palavras

 

Paróquia Nossa Senhora da Piedade, Várzea Paulista

Paróquia Nossa Senhora da Candelária
Via-Sacra

Procissão do Encontro

Paróquia São José – Itu
Reflexão dos Passos de Jesus

Paróquia São Luiz Gonzaga – Sete Dores de Maria – Itu

Matriz e Comunidade Santa Luzia

Pela devoção a Nossa Senhora das Dores, honramos o sofrimento que Maria livremente acolheu na redenção mediante a cruz.

A devoção a Nossa Senhora das Dores celebrava antigamente as assim chamadas Sete Dores de Maria. Foi o Papa Pio X quem formalizou o título “Nossa Senhora das Dores”, ou “Virgem Dolorosa”, que hoje celebramos no dia 15 de setembro.

É com este título que nós, católicos, honramos o sofrimento de Maria, acolhido livremente na redenção mediante a cruz. Foi junto à Cruz que a Mãe do Cristo crucificado se tornou a Mãe do Corpo Místico plasmado na Cruz: a Igreja.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima