12 de junho de 2021

Jundiaí /SP

A vida é missão

“Eis-me aqui, envia-me” (Is 6,8).

 

Caros leitores e leitoras: as Pontifícias Obras Missionárias (POM) têm a responsabilidade de organizar a Campanha Missionária, que acontece sempre no mês de outubro de cada ano, na Igreja de todo o Brasil. Colaboram nesta ação a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) por meio da Comissão Episcopal para a Ação Missionária e Cooperação Intereclesial, a Comissão Episcopal para a Amazônia e outros organismos que compõem o Conselho Missionário Nacional (COMINA).

No contexto da pandemia, a Campanha Missionária deste ano quer ser um sinal de esperança para tantas vidas doadas de forma solidária. Por isso, a Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial das Missões de 2020 tem como tema “A vida é missão”, e o lema “Eis-me aqui, envia-me” (Is 6,8). A temática aborda o convite que todo cristão, vivendo sua vocação missionária, recebe para defender e cuidar da vida em todas as suas dimensões, por isso, a CNBB, em comunhão com a Mensagem do Papa, escolheu para o Mês Missionário deste ano, esse mesmo tema: “A vida é missão” e o mesmo lema: “Eis-me aqui, envia-me” (Is 6,8).

A raiz missionária da Igreja está no Mistério Trinitário de Deus que, sendo Uno, é, ao mesmo tempo, Trino: um Deus família, amor e comunhão. Um Deus que, desde toda a eternidade, nos ama e nos quis para viver na sua intimidade. A Igreja existe no mundo para anunciar a Boa Nova do Reino de Deus ao coração das pessoas, a fim de que todos sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade (cf. 1Tm 2,4).

Mais ainda, antes de ser teológica, a missão tem uma dimensão antropológica. “A missão no coração do povo não é uma parte da minha vida, ou um ornamento que posso pôr de lado; não é um apêndice ou um momento entre tantos outros da minha vida. É algo que não posso arrancar do meu ser, se não me quero destruir. Eu sou uma missão nesta terra, e para isso estou neste mundo” (Papa Francisco, Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, n. 273).

O Papa Francisco traz, então, essa novidade no significado da missão, acentuando sua dimensão existencial. Na Exortação Apostólica Gaudete et Exsultate, o Papa chega a afirmar: “Não é que a vida tenha uma missão, mas a vida é uma missão” (n. 27). Assim, a missão é uma realidade de vida em que os batizados se deixam envolver pela presença de Deus e a transmitem para o mundo em todas as circunstâncias da vida. E é por isso que o missionário, ao levar a Boa Nova a um mundo angustiado e sem esperança, ou cuja esperança se esgota com o último suspiro de vida, não pode se apresentar triste, desanimado, impaciente ou ansioso, mas deve manifestar uma vida irradiante de fervor e da alegria de Cristo e do seu Evangelho.

Deste modo, toda a vida do cristão se torna uma missão: ser missionário está além de cumprir tarefas ou fazer coisas. Está na ordem do ser. É existencial, faz parte da identidade e da essência da vida cristã e não se reduz apenas a algumas horas do dia ou a algumas tarefas, atividades, cursos, encontros ou visitas; ser missionário significa que a vida toda é uma missão. Deus tem uma missão para cada um de nós: no lar, no trabalho, na escola e na faculdade, no lazer, nas pastorais e movimentos eclesiais… Somos missionários, quando visitamos um enfermo ou quando vamos ao encontro dos que sofrem. Enfim, somos missionários, para a glória de Deus, em todos os lugares e em todas as horas. E por isso a grande pergunta que devemos sempre fazer é: como posso viver a minha vocação missionária que Deus reservou para mim hoje?

É claro que, no âmbito social, nossa missão é ampla e exigente, pois ser missionário hoje, neste tempo de pandemia, exige de nós atitudes de solidariedade, fraternidade, justiça e partilha. Assim somos chamados a superar os enormes desafios da atualidade sem, no entanto, perder a nossa esperança, que está alicerçada em Cristo Jesus e na sua Palavra.

Além de nossas ações missionárias no dia a dia de nossa vida, podemos oferecer algo de concreto pelo bem das missões, particularmente nas regiões mais carentes do mundo. Por isso, a Igreja realiza a Coleta do Dia Mundial das Missões, feita nas celebrações do penúltimo final de semana de outubro (neste ano, dias 17 e 18).

Rezemos muitas vezes, neste mês de outubro, a Oração do Mês Missionário de 2020: “Deus Pai, Filho e Espírito Santo, fonte transbordante da missão, ajuda-nos a compreender que a vida é missão, dom e compromisso. Que Maria, nossa intercessora na cidade, no campo, na Amazônia e em toda parte, ajude, cada um de nós, a ser testemunhas proféticas do Evangelho, numa Igreja sinodal e em estado permanente de missão. Eis-me aqui, Senhor, envia-me! Amém.

A todos abençoo.

Publicado no jornal A Federação em 01.10.2020.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima