11 de abril de 2021

Jundiaí /SP

A tríplice coragem

“Não tenhais medo: vós valeis mais do que muitos pardais” (Mt 10,31).

 

Caríssimos leitores e leitoras: logo depois de escolher seus doze apóstolos, Jesus lhes deu algumas instruções, como refletiremos na Liturgia da Palavra da celebração da Santa Eucaristia do próximo domingo (12º Domingo do Tempo Comum). Além de suas primeiras diretrizes missionárias, os discípulos de Cristo foram alertados de que seriam enviados como ovelhas em meio a lobos (cf. Mt 10,16). Esse aviso, porém, não deveria perturbar o coração ou ser fonte de covardia para os apóstolos. Ao contrário, a intenção do Mestre era dizer-lhes que deveriam ter uma tríplice coragem para cumprir a Missão a que foram chamados. De fato, neste trecho do Evangelho, Jesus fala por três vezes: “Não tenhais medo” (Mt 10,26.28.31).

O primeiro medo que não devemos ter é o de evangelizar, ou seja, levar a Palavra de Jesus Cristo para todos. E podemos viver essa missão de evangelizar de diversos modos, no convívio com as pessoas do nosso cotidiano: através de uma conversa, de uma mensagem, nas redes sociais, etc. Principalmente aos que ainda não aderiram à fé ou que infelizmente fazem uma imagem errada da Igreja é a quem precisamos evangelizar. É o que Jesus nos pede: “O que vos digo no escuro, dizei-o à luz do dia; o que vos é sussurrado ao ouvido, proclamai-o sobre os telhados!” (Mt 10,27).

O segundo medo que devemos abandonar é o da insegurança diante das incertezas deste mundo. Realmente, são muitas as situações que podem nos afligir o coração, a mente e o espírito. Um dos frutos da fé é justamente a coragem que vem da confiança em Deus. Jesus nos ensina que, mesmo enfrentando inúmeros e grandes desafios diariamente, estamos todos sendo olhados e cuidados por Deus: “Não se vendem dois pardais por uma moedinha? No entanto, nenhum deles cai no chão sem que vosso Pai o permita. Quanto a vós, até os cabelos da cabeça estão todos contados. Não tenhais medo: vós valeis mais do que muitos pardais” (Mt 10,29-31).

O terceiro medo que nunca devemos ter é o de testemunhar nossa fé em Cristo diante de todos. Principalmente no mundo atual, no qual infelizmente muitas pessoas ainda se esquecem de Deus, devemos ter como uma urgência constante evangelizar através do testemunho pessoal. Precisamos contar às pessoas as maravilhas que o Pai realiza continuamente na vida de cada um e de cada uma de nós. Devemos mostrar ao mundo que há um caminho a ser seguido, que é o caminho do Evangelho. E que esse caminho nos leva à verdadeira Vida, que é a vida eterna e o próprio Cristo. Como disse Jesus: “Todo aquele, pois, que se declarar por mim diante dos homens, também eu me declararei por ele diante do meu Pai que está nos céus” (Mt 10,32).

As recomendações de Jesus são fundamentais para todos nós, ainda mais nos tempos atuais. Não podemos nos deixar abater, acovardar ou desanimar. Com o auxílio do Espírito Santo e a intercessão constante da Virgem Maria, devemos alegremente levar ao mundo a Boa Notícia de que Deus é nosso Pai e quer derramar abundantemente a sua graça e a sua bênção sobre todas as pessoas. Afinal, “se pela transgressão de um só muitos morreram, muito mais abundou sobre muitos a graça de Deus, concedida na graça de um só homem, Jesus Cristo” (Rm 5,15).

Saibamos todos, a nossa missão na evangelização. O Papa Francisco nos recorda que “não existe uma evangelização de poltrona” e que, portanto, “não existe uma evangelização em teoria”. A fé é para ser praticada e a evangelização, realizada a cada dia: “Jesus evangelizava assim. Sempre em caminho, sempre na estrada, sempre próximo às pessoas e sempre partia de situações concretas… É o Espírito que nos impulsiona a nos levantar, a nos aproximar e a partir das situações” (Homilia da Santa Missa, na Capela da Casa Santa Marta, 19/04/18).

Caríssimos leitores e leitoras: inspirados pelo Salmo 68(67), elevemos nossa oração a Deus, cujo imenso amor nunca falha. O Pai está sempre com os olhos voltados sobre nós, com grande amor. Nossa alegria está em sentir esse cuidado de Deus, que atende às preces do seu povo e não despreza os corações humildes. Nessa fé, vivida na intimidade com Deus, é que buscaremos a coragem e a esperança de que precisamos. Tenhamos plena certeza: O Senhor, nosso Deus, “dará força e poder a seu povo. Bendito seja Deus!” (Sl 68[67],36).

E a todos abençoo.

Publicado no jornal A Federação em 18.06.2020.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima