19 de outubro de 2020

Jundiaí /SP

Solidariedade a toda prova

imagem da Internet

Entramos no terceiro mês desde o início da quarentena e nesse tempo de pandemia do coronavírus, passamos a ter uma nova e difícil experiência de vida. E a cada dia, surgem novos desafios, novas exigências e muitas necessidades. E na Igreja isso não é diferente. Esse tempo tem-nos feito exercitar, mais que nunca, nossa prática espiritual e nossa caridade frente às necessidades dos irmãos mais vulneráveis.

Várias são as formas de ajudar e de se unir a essas populações. E nesse sentido caminha a Diocese de Jundiaí.

Iniciativas dos fiéis, das famílias, de grupos, dos movimentos, nas paróquias e comunidades paroquiais promovem diferentes ações, sempre com a finalidade de alcançar, atender, proteger e assistir os mais necessitados; os pobres, como pede o Papa Francisco.

O Setor de Comunicação da Diocese tem procurado tornar visíveis essas ações sempre com a missão de informar. Esse é o nosso jeito de colaborar para que as ideias se propaguem e as ações se espalhem, alcancem e aproximem a todos; os que ajudam dos que necessitam.

Hoje, nos chegam as práticas que estão sendo realizadas nas Paróquias Nova Jerusalém e São Vicente de Paulo, ambas localizadas em Jundiaí.

O padre Leandro Megeto, Pároco da Paróquia Nova Jerusalém, nos relata duas importantes iniciativas em andamento na paróquia.

A primeira, comprova a grande generosidade da comunidade paroquial, por meio de doações de alimentos, produtos de higiene e limpeza, entre outros itens.  A Paróquia montou um Mercado Solidário, com esses produtos recebidos de doações, e todas as pessoas necessitadas podem retirar aquilo de que estão necessitando. Um cartaz destaca “ Quem tem, doa. Quem não tem, pega!

Ainda sobre doações, outra iniciativa contempla a distribuição de alimentos pelas duas conferências Vicentinas que atuam na Paróquia.

A segunda iniciativa tem ajudado os pequenos comerciantes, localizados no território paroquial, a divulgarem seus negócios, na página do Facebook da Paróquia.

O padre Leandro explica que o interessado envia uma mensagem privada contendo uma arte de seu comércio; um cartaz, por exemplo. Em seguida, esse material é colocado em destaque na página. A iniciativa visa dar visibilidade aos serviços prestados por esses pequenos empreendedores, que atravessam momentos difíceis nesse tempo de pandemia.

“O momento é de ajuda em todos os sentidos”, completa o Padre Leandro.

Paróquia São Vicente de Paulo

Por sua vez, na Igreja matriz de São Vicente de Paulo, na Vila Marlene, foram atendidas 25 famílias com cestas básicas montadas pelos Vicentinos. O recolhimento dos alimentos é feito em plantões da secretaria paroquial.

Na Comunidade Santa Luzia, pertencente à Paróquia São Vicente de Paulo, que fica no Jardim Sorocabana (antiga Meias Aço), junto com a Prefeitura de Jundiaí foram doadas cestas básicas para 30 famílias, que são atendidas pelos Vicentinos, bem como foram entregues máscaras para os moradores da comunidade. Nesta comunidade também, numa outra parceria com a Prefeitura, por meio da Fundação Municipal de Ação Social (FUMAS), Serviço Social da Indústria (SESI) e Cáritas Diocesana, desde o dia 11 de maio estão sendo entregues 300 marmitex-dia, aos mais necessitados.

A Pastoral da Criança Paroquial realizou visitas a 25 famílias e está trabalhando para atender as necessidades do atual momento. No sábado, dia 9 de maio, véspera do Dia das Mães, foram distribuídos às mães da Pastoral, um kit de álcool em gel e sabonetes, com a orientação do devido uso e perigos da pandemia.

E por fim, foi criado um grupo de WhatsApp com todas as mães e as líderes da Pastoral da Criança, que recebem informações referentes a COVID-19, sobre vacinação e outros assuntos pertinentes à comunidade e a Pastoral.

O Pároco, Padre Luiz Carlos Dias Aranha, em comum acordo com as essas ações, agradece e reforça os pedidos de doações para os Vicentinos, nas missas com transmissão on line.

As doações devem ser entregues durante os plantões da secretaria paroquial, às quartas- feiras, das 14h às 15h, e aos sábados, das 9h às 10h. Nestes dias também ocorre o recolhimento do Dízimo para aqueles que não se utilizam dos recursos de transferência e/ou depósito bancário.

Muitas outras ações têm sido realizadas e muitas ainda precisam acontecer. Lembre-se de que os números da pandemia da COVID-19 multiplicam-se diariamente. Hoje, no Brasil, chegamos a 177.589 casos de coronavírus, 72.597 pessoas recuperadas e mais de 12 mil mortes confirmadas (cf. dados do Ministério da Saúde, atualizados às 19h desta terça-feira, 12 de maio, com informações repassadas pelas Secretarias Estaduais de Saúde). A Emergência sanitária global já afeta mais de 4 milhões de pessoas e ceifou perto 300 mil vidas. Não podemos resolver os problemas do mundo, mas podemos abrir nosso coração e estender a mão aos que nos são caros e estão mais próximos. Ainda há muito por fazer.

 

 

 

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Rolar para cima