“Não temas Maria, pois encontraste graça diante do Senhor” (Lc 1,30)

Por Padre Márcio Felipe de Souza Alves

Motivados pelo tema: “não temas Maria, pois encontraste graça diante de Deus” (Lc 1,30), Dom Vicente Costa, Bispo de Jundiaí, presidiu a Santa Missa de encerramento da Jornada Diocesana da Juventude – JDJ que está na sua 6ª edição.

Aproximadamente 900 jovens participaram do encontro que teve início no último dia 06 de julho.

Além dos jovens e das famílias acolhedoras, os seminaristas, religiosos e religiosas e os padres Ton (assessor diocesano do Setor Juventude), Joaquim Gonçalves Cruz (reitor do seminário Propedeutico), Alberto Simionato (reitor do seminário filosófico) e Márcio Felipe de Souza Alves (reitor do Santuário Diocesano Nossa Senhora Aparecida), participaram da Eucaristia.

A luz da Liturgia da Palavra do 14º Domingo do Tempo Comum, Dom Vicente exortou a Juventude a fazer o bem, não se deixando seduzir pela voz de Satanás.

”Muitas vezes desanimamos, perdemos a fé. Mas nunca podemos nos esquecer que Deus não desanima de nós, não dos desampara. O importante é viver a missão”, concluiu o Bispo.

Dom Vicente ainda lembrou aos jovens a mensagem que o Papa Francisco enviou a Juventude por ocasião da apresentação do Documento preparatório para a 15ª Assembelia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos, que tem o tema: “os jovens, a fé e o discernimento vocacional”.

Assim como é desejo do Santo Padre, Dom Vicente também usou as palavras do Pontífice para manifestar o desejo de seu coração: “eu quero que vocês estejam no centro da atenção, porque trago vocês em meu coração”, disse o pastor diocesano.

Para o padre Ton a Jornada Diocesana da Juventude – JDJ “é um atualizar no amor de Deus a cada dia, a cada momento dos nossos grupos de jovens e nos movimentos de nossa querida e amada Igreja de Jundiaí”.

 

One comment

  1. Agora meu tempo e’ estar em casa. A idade foi avançando. Sou idosa. E daí …. vou ficar esperando a morte …?????? Nem pensar…… muitos projetos a vida me apresenta, e desejo realiza- los, se Deus quiser. Rezar em todo tempo e lugar. O trabalho doméstico do dia a dia, casativo e repetitivo tem novo sentido quando oferecido a Deus pelas intenções da Igreja. Assim ele se torna mais leve. O leigo, na igreja tem o seu lugar na Igreja, sim, um lugar precioso e intransferível. O leigo mais do que ser simplesmente passível, deve ser aquele fermento misturado a massa ,que silenciosamente fermenta todo o seu entorno, transformando-o em povo de Deus, participe da salvação conquistada por Jesus. O lavar, o passar, o arrumar, o cuidar dos filhos, o cozinhar , repito, tem um novo sentido quando feitos com e por amor. A oração silenciosa durante o trabalho afastam os maus pensamentos que julgam e condenam o próximo . Os bons pensamentos podem nos levar a agir? Muitas das atividades que constam no livro A caminho da Eucaristia tomaram forma durante o meu dia a dia , durante o trabalho doméstico. A igreja hoje nos pede ser “discípulo-missionário”. No livro de catequese eu escrevi : ser discípulo e missionário . Senti a mão de Deus me iluminando. Vamos caminhar, muitos atrás de nós , nos olhem e nos seguem ,somos responsáveis. Rezem por nós .Rezamos por vocês a paz e o amor de Jesus nos acompanhem. Lurdinha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *