22 de maio de 2024

Jundiaí /SP

Pesquisar

Na 61ª Assembleia Geral dos Bispos do Brasil, bispos rezam em ação de graças pelo testemunho dos bispos eméritos

Na manhã de onte, dia 17 de abril, O Arcebispo Emérito de Olinda e Recife (PE), Dom Antônio Fernando Saburido, presidiu a Eucaristia no altar central da Basílica dedicada a Nossa Senhora da Conceição Aparecida. O Arcebispo Emérito de Montenegro (RS) e administrador apostólico de  Cascavel (PR), Dom Paulo Conto, e o Arcebispo Emérito de Natal (RN), Dom Jaime Vieira Rocha, foram os concelebrantes. “Estamos reunidos nesta Eucaristia com um olhar especial para os Bispos Eméritos. Eméritos, não aposentados já que a Igreja não é empresa e ninguém se aposenta da missão que esse Evangelho nos aponta”, sintetizou Dom Saburido.

O Arcebispo Emérito de Olinda e Recife igualmente refletiu em sua homilia sobre a colegialidade que, à luz do Papa Francisco, tem caráter sinodal. Os bispos, seguiu, “é pastor da Igreja local, mas tem missão universal”; inclinando o entendimento de que essa missão segue, ainda que com novos contornos, mesmo após a emeritude.

Dom Vicente Costa, Bispo Emérito de Jundiaí, integra a Comissão Nacional da CNBB dedicada aos Bispos Eméritos que, também hoje, teve sessão especial de apresentação do trabalho ao episcopado.

Sobre os Bispos Eméritos

A CNBB conta atualmente com 168 bispos eméritos. Ainda segundo a Conferência, alcançam essa condição, em comunhão com o Código de Direito Canônico, “aquele bispo que ‘perder o ofício por limite de idade ou por renúncia aceite’. A Igreja estabelece a idade de 75 anos para a apresentação do pedido de renúncia ao Papa”.

Ainda segundo a CNBB, “foi criada pela presidência da Entidade, em 2012, a Comissão Episcopal para os Bispos Eméritos com o objetivo de acompanhar os bispos eméritos. Cabe à esta comissão ser o elo de comunicação entre eles e a Conferência”.

 

Texto
Pascom / Regional Sul 1 – CNBB

Fotos | CNBB

Rolar para cima
Rolar para cima