Dons do Espírito Santo (VII): Temor de Deus

“Temer a Deus é o princípio da sabedoria”, afirma o livro dos Provérbios (9,10) e assim a Sagrada Escritura nos dá o direcionamento para uma vida verdadeiramente sábia aos olhos de Deus, que eleva os humildes. Não podemos pensar que o dom do Temor de Deus seja algo acessório em nossa vida cristã; pelo contrário, é temendo a Deus que podemos nos acercar do Seu mistério salvador que, na pessoa de Jesus Cristo, têm para nós um plano de eternidade que não encontramos nas coisas deste mundo. Ao mesmo tempo, é certo que o temor de Deus não se trata de um medo aterrador que afasta a criatura do Criador; antes, aproxima e faz crescer o espírito de confiança entre a nossa fragilidade e a onipotência divina, pois se cultivamos uma relação de respeito e reverência para com o Senhor, nosso Deus, certamente viveremos em profunda comunhão com Ele, através do cumprimento de Sua Palavra, que será para nós motivo de alegria, não de tristeza ou peso a ser suportado.

O Temor de Deus, o sétimo dom do Espírito Santo, faz-nos reconhecer a primazia de Deus em nossas vidas e o respeito que Lhe é devido por sua Majestade. Entretanto, a grandeza de Deus não O afasta da nossa pequenez, mas Ele mesmo quis assumir a nossa humanidade no mistério da Encarnação do Verbo, a fim de nos resgatar da escravidão do pecado e da morte e nos transportar para o Reino de seu Filho, nosso Senhor Jesus Cristo, como São Paulo afirma na Carta aos Colossenses (1,13). Tal deve ser a nossa gratidão para com Deus todo poderoso que se manifeste em nossa vida, particular e pública, a fim de que o mundo veja o testemunho da Verdade que nos salvou e transformou a nossa vida inteiramente.

Devemos recordar, com grave urgência, a grande necessidade que temos do dom do Temor de Deus em nossos dias pois tantas vezes o Nome de Jesus e Maria são profanados e vilipendiados pelos que não creem, tal como vimos recentemente; tantas vezes nossa Santa Religião é menosprezada e difamada pelos meios de comunicação com uma voracidade inigualável, tudo a fim de tentar diminuir a força vital do Evangelho, que, segundo Chesterton, é um ideal suficientemente quente para fazer ferver todo o mundo moderno.

O Papa Emérito Bento XVI diz que “o mundo revolta-se quando o pecado e a graça são chamados pelos seus próprios nomes”. Tanto é verdade que a sociedade atual perdeu completamente o respeito pelas coisas sagradas, e fazer troça de Cristo e da Igreja é visto como uma rentável fonte de lucro. Nós, porém, que professamos a fé na divindade de nosso Senhor Jesus Cristo e damos crédito ao Seu ensinamento somos chamados a viver em todos os momentos de nossas vidas temendo a Deus, com a palavra e o exemplo, sem nos intimidar com as investidas dos que “se comportam como inimigos da cruz de Cristo” (Fl 3,18).

Findamos esta série sobre os Dons do Espírito Santo pedindo a Santíssima Virgem, Nossa Senhora de Pentecostes, que nos ajude a viver a vida nova do Espírito Santo, testemunhando com Deus e audácia necessárias aos nossos dias e, principalmente no cumprimento de nossos deveres cotidianos, que Jesus Cristo é o Senhor das nossas vidas. Salve Maria!

 Seminarista Jean Carlo Cambuim

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *