Batizados e enviados: A Igreja de Cristo em missão no mundo

“Ide, pois, e fazei discípulos todos os povos, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19).

Prezados irmãos e irmãs da Igreja de Deus que se faz presente na Diocese de Jundiaí:

Outubro é o Mês das Missões, um período de intensificação das iniciativas de animação e cooperação missionária em todo o mundo. A origem da missão está em Deus Pai, que envia seu Filho único, na força do seu Espírito, para a salvação da humanidade e do mundo. Deste modo, a missão da Igreja é a mesma de Jesus.

Em 22 de outubro de 2017, Dia Mundial das Missões, o Papa Francisco, durante a oração do Ângelus, anunciava publicamente para toda a Igreja sua intenção de proclamar um Mês Missionário Extraordinário (MME) em outubro de 2019, para celebrar o centenário da Carta Apostólica Maximum Illud, de seu predecessor, o Papa Bento XV, que marcou época por destacar a abertura missionária da Igreja a todos os povos.

Para reavivar a consciência batismal do Povo de Deus em relação à missão da Igreja, o Papa Francisco escolheu para o MME o tema: “Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo”, tendo como objetivos principais: reavivar a consciência batismal do Povo de Deus em relação à missão da Igreja; despertar a consciência da missão ad gentes (isto é, além-fronteiras, além dos limites geográficos da Diocese); retomar com novo impulso a transformação missionária da vida e da pastoral.

Assim, espera-se que a celebração deste MME nos ajude a reencontrar o sentido missionário da nossa adesão de fé a Jesus Cristo, fé recebida como dom gratuito no Batismo, pelo qual somos feitos filhos e filhas de Deus e da Igreja.

É necessário perceber, contudo, que a temática do MME não se reduz a uma reflexão abstrata ou produção de textos, mas aponta para práticas concretas de saída missionária para a Igreja. À convocação do Papa Francisco, o MME responde indicando seis dimensões importantes, com várias iniciativas muito interessantes a serem assumidas por todos nós:

  1. Encontro: A missão nasce do encontro com Jesus, que dá novo horizonte à vida (Documento de Aparecida, n. 29). Enfatizar que o encontro com Jesus Cristo vivo em sua Igreja é pessoal, e se dá através da Palavra de Deus, da Eucaristia, da oração pessoal e comunitária, e da identificação com os pobres.
  2. Testemunho: Valorizar os dois padroeiros da missão, Santa Teresinha do Menino Jesus e São Francisco Xavier, o testemunho dos santos e santas, e dos mártires da missão. De modo especial, ressaltar, entre tantos, a missionariedade comprometida de duas testemunhas brasileiras: Padre Ezequiel Ramin, missionário italiano brutalmente assassinado no dia 24 de julho de 1985, em Cacoal − RO, na luta pela defesa dos pobres e Dra. Zilda Arns, a médica e missionária que salvou milhares de vida pela Pastoral da Criança por ela fundada, e morta no dia 12 de janeiro de 2010, em Porto Príncipe, Haiti, no terremoto que devastou aquele país e vitimou mais de 200 pessoas. Os dois são mártires de nosso tempo.
  3. Formativa: Reflexão bíblico-teológica sobre a identidade missionária de todo povo de Deus, a partir da temática do MME. Ter consciência de que a missão inclui necessariamente a missão ad gentes (além-fronteiras). Em nossa Diocese de Jundiaí, no tempo que realizamos as Assembleias Paroquiais, que têm como objetivo conhecer e aplicar as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja do Brasil 2019-2023 à nossa realidade eclesial e social, destacar que a ação missionária é um dos quatro pilares essenciais da Igreja.
  4. Caridade missionária: Ter como inspiração as três formas de cooperação missionária: oração, oferta e saída missionária. Nos dias 19 e 20 de outubro, Dia Mundial das Missões, realizar nas paróquias a coleta no final de semana pelas obras missionárias da Igreja, bem como ajudar também os nossos missionários que trabalham em outras localidades além da nossa Diocese.
  5. Cooperação: Conectar o MME com o Sínodo para a Amazônia, que acontece em Roma entre 6 e 27 de outubro deste ano. Contribuir com ajuda material, dando maior visibilidade e impulso aos projetos das Igrejas-Irmãs e ad gentes, destacando o testemunho dos nossos missionários que atuam dentro e fora do Brasil: Padre Adeilson Rodrigues dos Santos, Padre Edmilson de Abreu Silva, Diácono Permanente Paulo Morais e Vera Lúcia Rego dos Santos Oliveira (Roraima – RR); Padre Adriano Ferreira Rodrigues (Pemba, Moçambique, África) e Padre Luiz Antonio de Aguiar (Yokohama, Japão).
  6. Celebrativa: Nas Paróquias da Diocese de Jundiaí a abertura do MME aconteceu no primeiro final de semana do mês de outubro. Valorizar o Dia Mundial das Missões com a Vigília Missionária que o antecede, no dia 19 de outubro de 2019. Acompanhar pela oração os nossos missionários de nossa Diocese que atuam na missão ad gentes. Visitas nas casas e comércios; promoção da experiência da Missão Jovem em nossas comunidades; aprofundamento da temática do MME nas pastorais e movimentos eclesiais, assim como a COMIPA (Comissão Missionária Paroquial), a Infância e Adolescência Missionária (IAM), a Animação Bíblico-Catequética, as Pastorais Sociais, os Grupos de Rua. Realizar a Novena Missionária. Participar do encerramento do MME, que será no dia 27 de outubro (domingo), às 15h, em celebração eucarística, presidida pelo Bispo Diocesano, a ser realizada na Paróquia Nova Jerusalém, em Jundiaí, com a presença dos missionários diocesanos, fiéis, diáconos e padres.

Caros diocesanos e diocesanas, que este MME seja um verdadeiro sopro do Espírito Santo, que providencialmente, de alguma forma, uniu o Mês Missionário Extraordinário, o Sínodo da Amazônia e as nossas Assembleias Paroquiais. Esses eventos conectam-se e relacionam-se, principalmente à medida que são sementes de novas formas da presença da Igreja em nossas comunidades tão fortemente marcadas pela cultura urbana. É Cristo mais uma vez nos ordenando: “Ide, pois, e fazei discípulos todos os povos, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19).

Um bom mês missionário a todos e que a Pessoa de Jesus Cristo seja anunciada e acreditada cada vez mais por todos nós.

A todos abençoo.

Dom Vicente Costa
Bispo Diocesano

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *