22 de maio de 2024

Jundiaí /SP

Pesquisar

41ª Assembleia Geral Ordinária do CNLB refletiu sobre “A profecia do Laicato”

Entre os dias 8 e 11 de junho de 2023, a Arquidiocese de Olinda e Recife sediou a 41° Assembleia Geral Ordinária (41° AGO) do Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB), no Centro Mariápolis Santa Maria, em Igarassu (PE). O encontro reuniu mais de 200 participantes, vindos dos 19 regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), estando representadas 87 dioceses e 15 movimentos eclesiais nacionais. Da Diocese de Jundiaí participou Reinaldo Oliveira, como membro do Conselho Diocesano do Laicato e representante do sub regional Sorocaba da CNBB.

O encontro tem como objetivo rezar a profecia dos cristãos leigos e das cristãs leigas e refletiu sobre a evangelização nas comunidades a partir de temas importantes, a exemplo do diálogo entre fé, educação e cultura, o protagonismo das juventudes, dentre outros.

A Assembleia foi lugar de avaliação e reflexão da caminhada, bem como de celebração dos avanços e desafios da missão de organizar e representar o laicato no Brasil.

O tema escolhido para a 41° AGO é “A profecia do laicato” foi proposto dentro do itinerário do jubileu de 50 anos do CNLB.

O lema iluminador da Assembleia “Cristãs leigas e leigos: Não deixemos morrer a profecia”, é uma citação direta de dom Helder Câmara, que foi Arcebispo de Olinda e Recife, no período de 1964 a 1985. Já a iluminação bíblica da Assembleia, tirada do Evangelho de Lucas “Ele me ungiu para anunciar a Boa Nova aos pobres” (4,18), se comunica intimamente com o lema e constitui um chamado que ecoa constantemente para que o CNLB renove sua vocação profética de transformação da sociedade, vocação privilegiada.

Nos dias da Assembleia, a organização do evento emitiu as notas, sobre temas que afetam o enfraquecimento da participação do laicato brasileiro, em controle social das políticas públicas e cartas de apoio à entidades parceiras do organismo.

Nos documentos, vale ressaltar os clamores do povo, suas necessidades e a sensibilidade social vêm exatamente dessa participação e impactam a formulação das políticas públicas.

Confira a Carta aberta aos Cristãos Leigos e Leigas do Brasil:

 

Rolar para cima
Rolar para cima