175 anos de fundação do Apostolado da Oração (1844-2019)

Muitos cristãos “ali se encontravam, reunidos para orar” (At 12,12).

Prezados irmãos e irmãs da Igreja de Deus que se faz presente na Diocese de Jundiaí:

Neste ano celebra-se a comemoração dos 175 anos do Apostolado da Oração, que há 10 anos foi atualizado e refundado com o nome de Rede Mundial de Oração do Papa, e que tem a missão de mobilizar os católicos pela oração, pela ação e pelo testemunho, diante dos desafios da humanidade e da missão da Igreja. Estes desafios são propostos em forma de intenções mensais de oração sugeridas pelo Papa a toda a Igreja, dentro da devoção do Sagrado Coração de Jesus. Assim como a Igreja nascente estava reunida em oração na “casa de Maria, a mãe de João, chamado Marcos” (At 12,12) para orar pelo apóstolo Pedro, que tinha sido preso pelo rei Herodes, assim também graças a este abençoado movimento eclesial, a Igreja hoje se reúne para orar pelas suas necessidades e pelas do mundo inteiro. Vale a pena conhecer a história de suas origens, seu carisma, sua presença no Brasil e particularmente em nossa Diocese.

O Apostolado da Oração nasceu numa casa de estudos da Companhia de Jesus, os jesuítas, na cidade francesa de Vals. No dia da festa de São Francisco Xavier, 3 de dezembro de 1844, o Padre Francisco Xavier Gautrelet, SJ, explicou a um grupo de jovens sedentos de ir para a missão, que pelas orações e pelos sacrifícios que poderiam fazer, levariam um preciosíssimo auxílio àqueles que trabalhavam já na seara do Senhor. Aquelas ideias propostas naquela exortação espiritual deram origem ao Apostolado da Oração, e assim foram imediatamente concretizadas por aqueles jovens dentro do colégio, espalhando-se logo em seguir na França e em outros lugares da Europa este belo apostolado de colaborar pela salvação do mundo, a partir de três atitudes fundamentais: oferecimento do dia, rezar pelas intenções do Papa e avaliação diária de vida. Isso tudo para ajudar a missão da Igreja. Portanto, é importante lembrar que a data da fundação do Apostolado da Oração é a festa de São Francisco Xavier, um dos maiores missionários que a Igreja teve. Jovem ainda, foi enviado para as Índias e Japão e morreu às portas da China por causa da fraqueza e cansaço físico, por tanto se empenhar em pregar o Evangelho àqueles povos sedentos de maior sentido para suas vidas. Junto com Santa Teresinha do Menino Jesus, a Igreja o declara Padroeiro das Missões.

O Apostolado da Oração logo chegou ao Brasil. No ano de 1871, em Itu, em nossa Diocese, na Igreja do Bom Jesus, o Padre jesuíta Bartolomeu Taddei fundou o Apostolado da Oração, que espalhou ramos por todo o país. Por isso ele é considerado o fundador e o propagador no Brasil. Já entre 1903 e 1904, este padre jesuíta coordenou, com as doações dos associados do Apostolado da Oração, a construção do Santuário Nacional do Sagrado Coração de Jesus, anexo à Igreja do Bom Jesus. Outro momento marcante para a difusão do Apostolado da Oração foi quando, no dia 1º de junho de 1896, Padre Taddei conseguiu superar todas as dificuldades e lançou o primeiro número da revista Mensageiro do Coração de Jesus, como revista de formação cristã e órgão oficial do Apostolado da Oração. Intensificando a vida eucarística e a devoção ao Sagrado Coração de Jesus, o Apostolado da Oração revitalizou por toda a parte do Brasil a prática da religião, tanto individualmente como nas famílias (por meio da consagração das famílias), através da consagração de municípios, de cidades, de estados e de todo o Brasil. Padre Bartolomeu Taddei, SJ faleceu no dia 3 de junho de 1913, em Itu, junto ao Santuário do Coração de Jesus, deixando em pleno funcionamento 1.290 centros do Apostolado da Oração espalhados por todo o Brasil, com milhares de associados. Hoje os grupos do AO estão presentes em 98 países do mundo, contando com mais de 36 milhões de membros. Somente no Brasil temos quase 3 milhões de membros do AO. É uma força orante para ajudar a sustentar a missão da Igreja.

O Apostolado da Oração sempre esteve presente nas paróquias da região que viria a se tornar a Diocese de Jundiaí, em 1967. Foi, todavia, em 1992, a pedido de Dom Amaury Castanho, naquele tempo bispo coadjutor de Jundiaí, que o então Diácono Permanente José Brombal – hoje Padre Vigário Paroquial da Paróquia da Catedral − organizou, em âmbito diocesano, os associados do Apostolado da Oração. Além de formar a coordenação diocesana, foi seu primeiro diretor espiritual e muito colaborou para o seu crescimento em número e espiritualidade. Atualmente, o Apostolado da Oração está presente em 59 paróquias da Diocese de Jundiaí, e seus membros estão inseridos nas diversas atividades da ação evangelizadora da Igreja (liturgia, catequese, vicentinos, grupos de rua, pastoral da saúde, etc…).

Após tantos anos de atividades, há 10 anos, sentiu-se a necessidade da atualização e da mudança do Apostolado da Oração, de modo que o Papa Francisco, em 27 de março de 2018, reconheceu este serviço eclesial como Obra Pontifícia, com sede oficial na Cidade do Vaticano, sendo aprovados seus novos Estatutos. Deste modo, o Apostolado da Oração passou a ser denominado e estruturado como uma Rede Mundial de Oração do Papa, incluindo também o seu braço jovem: o Movimento Eucarístico Jovem (MEJ). Por isso, o Apostolado da Oração, ao transformar-se em rede de oração em todo o mundo, expressa um renovado sentido de comunhão espiritual entre pessoas e grupos que dão à sua oração uma projeção apostólica e missionária, em união com o Sumo Pontífice.

Como reza a Oração pelos 175 anos da fundação da Rede Mundial de Oração com o Papa (Apostolado da Oração), supliquemos ao Sagrado Coração de Jesus, “fornalha ardente de caridade” que sejamos todos nós “testemunhas da misericórdia para o mundo sedento de paz, justiça e fé!”.

A todos abençoo, particularmente a tantos que participam da Rede Mundial de Oração com o Papa (Apostolado da Oração).

Dom Vicente Costa
Bispo Diocesano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *