1º Fórum do Laicato acontece em Salto

Assessores falam de exercício de cidadania na sociedade e de protagonismo do laicato na Igreja

Foi realizado na manhã do sábado, 9 de junho, no Salão “Dom Gabriel” do Centro Comunitário São Benedito, o 1º Fórum do Laicato que refletiu sobre o Ano do Laicato instituído pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que teve início na Solenidade de Cristo Rei de 2017, em 26 de novembro e se encerrará na Solenidade de Cristo Rei de 2018, em 25 de novembro. A iniciativa foi do Conselho Regional das Pastorais Sociais (CRPS) da Região Pastoral 8 (Salto) e Cáritas Interparoquial de Salto. Os assessores foram o professor Manoel Quaresma Xavier e a teóloga Ivenise Teresinha Gonzaga Santinon.

O Fórum foi aberto por Célia Regina Mosca Bergantin, da Cáritas, que fez um histórico da criação da Cáritas Interparoquial e de suas atividades no município, em especial junto às famílias e crianças do Jardim Marília II.

A oração inicial foi conduzida pelo diácono Dimas Constant, da Paróquia São Roque, e vice-presidente da Cáritas Interparoquial.

O professor Manoel Quaresma falou sobre o exercício de cidadania, que deve ser protagonizado por todos, na sociedade e na Igreja. O lema de sua assessoria foi “Pensar grande à partir de pequenas atitudes”. “Existem pequenos atos que afetam grandemente a sociedade e que às vezes vemos, mas não enxergamos suas consequências, e que causam impacto social: jogar lixo na rua, furtar pequenos objetos públicos ou privados que achamos não farão falta a quem o possui, sonegar impostos, exigir benefícios para votar em candidatos”, disse o professor.

O professor frisou que não deveria existir quem pense ser o maior ou ser o melhor porque exerce cargo ou função importante. Somos diferentes, temos dons e talentos diferentes. Cada um é importante naquilo que faz. “Leigo é um cidadão que deve exercer a cidadania quanto aos seus direitos e deveres, sempre com responsabilidade fiscal. Às vezes vemos uma situação, mas não enxergamos as consequências. Ver é diferente de enxergar”, falou. Citou ainda questões de responsabilidade política, fiscal e de fiscalização das contas públicas.

A teóloga Ivenise Teresinha falou sobre o “protagonismo do Laicato na Igreja e na Sociedade”. “Os leigos e leigas devem estudar, conhecer, ter consciência do seu papel na Igreja e na sociedade, para tomar decisões e ser protagonista”, falou. “Não podemos ser subservientes, depender do Clero para exercer nossa vocação, mas caminhar juntos, saber do papel de cada um, clérigo ou leigo, para o crescimento da Igreja, entender que ser Sal da Terra e Luz do Mundo é ter consciência de uma Igreja viva, atuante, acolhedora, acolhendo e promovendo os pobres”.

Ivenise falou dos vários documentos que exortam os leigos e leigas à participarem de forma organizada e firme na Igreja: os documentos do Concílio Ecumênico Vaticano II, documentos do Papa Francisco, Documentos 62 e 105 da CNBB. “O Ano do Laicato é uma forte exortação aos leigos e leigas para estarem atentos aos problemas sociais e pastorais que surgem nas suas áreas de atuação. O sal, bem distribuído, acentua o sabor; a luz adequada ilumina e direciona, abre caminhos”, completou a teóloga.

Participaram do Fórum agentes das diversas Pastorais Ssociais, o coordenador diocesano da Campanha da Fraternidade, Fábio Noronha, o coordenador da Pastoral Fé e Política Regional Wellington Gessoli, o vereador Alexandre Martins (Xandão), João Caceta, da Sociedade São Vicente de Paulo, e o diácono José Carlos Pascoal.

Colaboração:

Texto: Diácono José Carlos Pascoal

Foto: Juliana Roberta Cequinne – PasCom São Benedito

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *